Transporte gratuito causa disputa em SP

Na quarta-feira da semana passada, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) conseguiu uma liminar junto à Justiça garantindo a circulação das lotações que fazem o chamado serviço Ponte-Orca, a ligação por vans entre a Estação Cidade Universitária da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e a Estação Vila Madalena do metrô. O transporte é gratuito e foi inaugurado no dia 28 de agosto.Os serviços estavam suspensos há alguns dias, deixando irritados muitos passageiros que saíam desta estação de trem em direção ao metrô. A suspensão ocorreu por causa das apreensões, deste tipo de van, que a São Paulo Transportes (SPTrans) vinha fazendo. O secretário municipal dos Transportes, Getúlio Hanashiro, alega que a linha Vila Madalena-CPTM é um serviço que precisa de autorização da Prefeitura para funcionar, mesmo que já tenham sido regularizadas pelo Estado. A assessoria de imprensa da Secretaria Municipal dos Transportes informou que o serviço é inconstitucional e concorrente do sistema de ônibus urbano. A STM, por sua vez, informou que os veículos fazem parte do projeto de interligação entre estações e não param no meio do caminho para pegar mais passageiros. O projeto consiste em oferecer uma senha à pessoa, na área paga da estação Vila Madalena, antes dela embarcar na van conhecida como Orca-Operador Regional de Coletivos Autônomos. A denominação foi dada aos antigos perueiros a partir da criação de um serviço especial com comunicação visual padronizada para que não sejam confundidas com os veículos clandestinos. Chegando na estação Cidade Universitária, ele ganha um bilhete unitário para trem. O mesmo vale para o trajeto da volta. O percurso de ida ou volta demora de 8 a 10 minutos. Os OrcasA interligação entre as duas estações está sendo feita por 20 Orcas. Em sua maioria, os Orcas fazem trajetos intermunicipais e constituem empresas, contratadas por empresários de ônibus, selecionadas, orientadas e fiscalizadas pela STM. No caso da interligação entre estações do metrô e da CPTM, a contratante é a própria STM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.