finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Transportes puxou alta do setor de serviços, diz IBGE

O setor de transportes foi o que mais contribuiu para a alta da receita nominal bruta de serviços em julho deste ano, na comparação com igual mês de 2012. O segmento avançou 12,4% e contribuiu com 3,9 pontos porcentuais para a formação da taxa de 9,0% registrada no período.

IDIANA TOMAZELLI, Agencia Estado

18 de setembro de 2013 | 11h48

Dentro do setor, o transporte terrestre foi o maior peso, responsável por 2,3 pontos porcentuais da taxa. De acordo com o técnico Roberto Saldanha, da Coordenação de Serviços e Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a movimentação de commodities e o escoamento da safra impulsionaram o transporte rodoviário.

A alta de 23,5% na receita nominal de todos os serviços observada no Mato Grosso em julho, ante julho de 2012 (a maior entre os estados), foi influenciada por esse fator. "(O Estado) e um corredor de exportação para o Porto de Santos. Há também um movimento interestadual de commodities para a indústria em São Paulo", disse Saldanha.

O setor aéreo também foi destaque, com contribuição de 0,7 ponto porcentual, dentro do segmento de transportes, puxado pelo turismo típico de férias de julho e pela realização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), na cidade do Rio de Janeiro.

Saldanha explicou que, como a receita é contabilizada para o Estado onde ela foi gerada, isso permitiu que o desenvolvimento ocorresse em outros locais além do Rio de Janeiro. E por esse motivo, também, que o Estado sede da JMJ registrou avanço mais tímido na receita nominal de transportes, de 4,2%, menor que a média do País.

Outros setores de maior peso no mês de julho foram os de informação e comunicação e o de serviços profissionais e administrativos. "O aquecimento da demanda empresarial impactou esses serviços", disse Saldanha. Segundo o IBGE, esses segmentos variaram, respectivamente, 6,9% e 8,5% em julho ante julho de 2012. A contribuição para a taxa foi de 2,3 pontos porcentuais para informação e comunicação, e de 1,9 ponto porcentual para serviços profissionais e administrativos.

Os serviços prestados às famílias teve a maior variação entre os segmentos em julho, avançando 12,8% em relação a julho do ano passado, também refletindo o movimento das férias e da JMJ. Mas Saldanha ponderou que seu peso é menor na formação da taxa completa, ficando em 0,8 ponto porcentual.

Tudo o que sabemos sobre:
serviçosIBGEjulhotransportes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.