Trecho SP-Campinas do trem-bala poderá ser por PPP

O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, disse hoje que o trecho do projeto do trem-bala de São Paulo a Campinas (SP) poderá ser construído por meio de Parceria Público-Privada (PPP). Já o trecho principal da futura ligação ferroviária - do Aeroporto do Galeão, no Rio, até o Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo - deverá ser construído por meio de concessão pública à iniciativa privada.As obras do trem-bala foram incluídas hoje no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O governo afirma que realizará a licitação do trecho principal no primeiro semestre do próximo ano, mas o fato é que a execução do projeto ainda depende de estudos que nem foram contratados pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) junto a consultorias internacionais. O governo diz que os estudos de viabilidade e modelagem deverão estar prontos até agosto de 2008, e o edital deverá ser publicado até março de 2009.Nascimento disse que o leilão de concessão do trem-bala deverá ter o mesmo critério do leilão de trechos de rodovias federais realizado no ano passado, ou seja: vencerá a empresa ou consórcio que oferecer a menor tarifa. O ministro acrescentou que a decisão do governo de estender o trem-bala até Campinas tem como objetivo integrar os aeroportos do Rio e de São Paulo. "Decidimos integrar os aeroportos pensando na crise do setor aéreo", disse o ministro dos Transportes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.