Trem para aeroporto de Guarulhos custará US$ 395 milhões

A Infraero e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) assinaram hoje, no Palácio dos Bandeirantes, convênio para iniciar um trabalho conjunto com o objetivo de construir uma linha de trem expressa da região central de São Paulo até o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. O projeto da CPTM prevê 24 quilômetros de trilhos, com utilização de 10 quilômetros da linha F da CPTM e a construção de outros 14 quilômetros próximo à Rodovia Ayrton Senna.Segundo o presidente da Infraero, Fernando Perrone, o empreendimento está avaliado em US$ 395 milhões. Inicialmente, as duas empresas farão um estudo que levará entre 60 e 90 dias para ser concluído. Em seguida, será lançado o edital de licitação internacional para a escolha das empresas participantes, processo que deverá durar cerca de quatro meses. "Até outubro ou novembro, teremos condições de iniciar as obras, que devem demorar de 24 a 30 meses" , informou Perrone.A intenção, segundo ele, é ter a linha ferroviária operando quando estiverem prontas as obras do terceiro terminal do Aeroporto de Guarulhos. Com isso, o número de 14 milhões de passageiros que passa por ano pelo aeroporto, o maior do País, deverá subir para cerca de 27 milhões. "Por isso será preciso melhorar o acesso ao aeroporto", disse Perrone. A Infraero estuda participar do empreendimento como sócia.Regime de concessãoO modelo de construção será do tipo Built Operate Transfer (BOT). Isto é, o consórcio vencedor da licitação fará o projeto do trem, vai administrar sua construção e obter uma concessão de operação por período estimado em 20 anos. O secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, informou que os estudos preliminares indicam que a demanda de passageiros para o trem de Guarulhos será de 20 mil por dia.O custo por quilômetro será de US$ 15 milhões, segundo ele, muito mais baixo do que os US$ 100 milhões por quilômetro necessários para a construção do metrô. O preço da passagem ficará entre US$ 6 e US$ 14 (pelo câmbio de hoje, R$ 14 a R$ 33).Segundo o secretário, o estudo final indicará qual a melhor estação de partida do trem na capital paulista: se a Barra Funda, na zona oeste, o Brás ou a Luz, na região central. "Vamos analisar os prós e contras de cada estação", afirmou. Funcionários da CPTM acreditam que a construção da linha de trem deverá começar somente em 2003 e que a obra deverá ficar pronta somente em 2006.

Agencia Estado,

14 de março de 2002 | 13h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.