Trens de carga são saqueados por gangues no interior de São Paulo

 Este ano foram roubados 840 toneladas de arroz, 500 de cimento e 50 de açúcar

José Maria Tomazela, correspondente,

24 de abril de 2013 | 16h38

SOROCABA - Um trecho de três quilômetros da estrada de ferro concedida à America Latina Logística (ALL) em Sorocaba, a 92 km de São Paulo, tornou-se um pesadelo para a empresa que administra 21,3 mil km de ferrovias em todo o País.

Os trilhos atravessam o bairro Nova Esperança e os saques aos vagões de carga são frequentes e praticados por multidões de até 200 pessoas. Só este ano, foram furtadas 840 toneladas de arroz, 500 de cimento e 50 de açúcar em 11 vagões atacados. Houve também danos à linha e aos trens.

 

A cena lembra antigos filmes de faroeste: a locomotiva começa a patinar na graxa espalhada nos trilhos e vira presa fácil de piratas ferroviários - homens e mulheres usando máscaras, como mostram as imagens captadas por um cinegrafista TVTEM, de Sorocaba.

As composições passam pelo bairro, uma antiga favela, em velocidade reduzida a 25 km/h por causa de uma subida em curva e do risco de acidentes.

Os saques, antes restritos à noite, passaram a ocorrer à luz do dia. Numa das ações, mais de duzentas pessoas tomaram o trem, bateram com paus para desengatar os vagões e furtaram o açúcar.Em outra, os saqueadores separaram alguns vagões do resto do comboio para furtar a carga.

A Polícia Militar, quase sempre, chega depois que o saque foi consumado. No bairro impera a cumplicidade ou a lei do silêncio.

A ALL mantém rondas com seguranças no trecho, mas os saqueadores agem em grande número e em horários incertos. Jornalistas e fotógrafos já foram atacados a pedradas e ameaçados de morte. Entre os criminosos, muitos são menores e também mulheres.

A empresa já se reuniu com a prefeitura e a Polícia Militar em busca de solução. A ALL informou ter reforçado a escolta dos trens no local e, nas últimas semanas, as ocorrências diminuíram.

 

A empresa também investe num programa social no bairro. A empresa informou que as cargas têm seguro. Segundo a ALL, não há registro de ações semelhantes em outros trechos da ferrovia que a empresa administra.

O traçado da ferrovia no trecho urbano de Sorocaba remonta à construção da Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), inaugurada em 1875. O trecho em que ocorrem os saques faz parte da extensão da ferrovia de Sorocaba à antiga Real Fábrica de Ferro de São João de Ypanema e foi construído em 1876.

O projeto de um contorno ferroviário e a retirada dos trilhos da área urbana está em estudos no Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), sem prazo para execução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.