Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Três grupos disputam filial alemã da GM

Além da Fiat, as empresas Magna e RHJ fizeram ofertas pela Opel

, O Estadao de S.Paulo

21 de maio de 2009 | 00h00

A General Motors recebeu ontem três ofertas para sua filial na Europa, a Opel. Além da montadora italiana Fiat, a companhia canadense Magna International e a belga RHJ International, ambas do setor de autopeças, apresentaram propostas.Apesar de a decisão sobre qual delas vai vencer a disputa pertencer à GM e aos Estados Unidos, o governo da Alemanha dará um parecer favorável a um dos três concorrentes no início da próxima semana. O vencedor poderá receber garantias de crédito do governo alemão.Em um comunicado, a Fiat confirmou ter apresentado oferta pela alemã Opel e pela marca britânica da GM, a Vauxhall. Nenhuma empresa revelou detalhes das propostas.O governo alemão pediu que as três empresas apresentem detalhes de suas respectivas ofertas para determinar que tipo de ajuda poderá ser oferecida. O DresdnerKleinwort bank, unidade do parcialmente nacionalizado Commerzbank, foi designado para estudar os planos de cada uma.A concorrente mais forte é a Fiat que, segundo fontes do mercado, quer combinar as operações da GM na Europa, América Latina e África do Sul com as da Chrysler e, assim, criar a segunda maior montadora mundial, atrás da Toyota.O jornal Financial Times de ontem divulgou que as três companhias interessadas deveriam apresentar ofertas com valores na casa dos 650 milhões. A GM deve preferir aquela que oferecer dinheiro em espécie, o que pode frustrar os planos da Fiat, que pretende oferecer ativos em um modelo similar ao realizado com a Chrysler, que envolve troca de ações e tecnologias.A GM americana tem até 1º de junho para anunciar se entrará em concordata ou se seguirá com seu plano de reestruturação que inclui a venda de diversas marcas, além da Opel.Fontes citadas ontem pelo Wall Street Journal afirmaram que o Departamento do Tesouro dos EUA deverá injetar mais de US$ 7 bilhões na GMAC, braço financeiro da GM, numa primeira parcela de um investimento governamental que poderá alcançar US$ 14 bilhões. Segundo essas fontes, o objetivo é fortalecer o balanço patrimonial da GMAC e permitir que dê crédito para compras de carros da GM e da Chrysler.Com isso, o governo poderá se tornar um grande acionista da GMAC, hoje controlada pela GM e por um grupo liderado pelo Cerberus Capital Management, que também controla a Chrysler.NOVO PRESIDENTEA Chrysler anunciou ontem que Robert Kidder será o substituto de Robert Nardelli assim que forem concluídos o processo de concordata da montadora e a aliança com a italiana Fiat.Kidder, um dos diretores do Morgan Stanley, atualmente preside uma empresa de investimento que se concentra em companhias do setor de tecnologia limpa."Somos afortunados porque Bob Kidder vai liderar a nova companhia na direção de sua transformação", disse Nardelli, que anunciou sua saída após a Chrysler pedir concordata. AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.