Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Três grupos fazem oferta pela Vasp

Entre os interessados estão a OceanAir e duas empresas de manutenção, uma delas chinesa

Marianna Aragão e Beth Moreira, O Estadao de S.Paulo

28 de setembro de 2007 | 00h00

Sem voar há dois anos e meio, a Vasp está sendo cobiçada por investidores nacionais e estrangeiros interessados em retomar suas atividades - ou pelo menos parte delas. Em assembléia realizada ontem na sede da empresa, em São Paulo, os credores iniciaram o processo de venda da Vasp, definindo um prazo de 20 dias para o recebimento de ofertas.A Vasp está em recuperação judicial e, segundo perícia encomendada pela empresa, tem dívidas de R$ 5 bilhões e ativos de R$ 6,5 bilhões. Desse total, porém, apenas R$ 1,8 bilhão são ativos tangíveis, isto é, bens como imóveis, aviões, turbinas, máquinas e veículos. O resto seria decorrente de ações judiciais, algumas com decisões favoráveis, outras ainda não.Antes mesmo da assembléia de ontem, a empresa de manutenção aeronáutica Digex, de São Paulo, já havia formalizado, na noite de terça-feira, uma oferta no 1º Ofício de Falências e Recuperações de São Paulo. A informação foi confirmada pelo juiz Alexandre Alvez Lazzarini, responsável pelo processo de recuperação judicial da Vasp.Segundo uma fonte do mercado, a oferta da Digex seria financiada pelo investidor chinês Lap Chan - responsável pela compra da Varig junto com a VarigLog, no ano passado. Procurada, a Digex disse que não ia se manifestar sobre o assunto. Lap Chan não foi encontrado para falar sobre a oferta.Outros dois investidores, a brasileira OceanAir e a empresa de manutenção de aeronaves chinesa Haite Group, manifestaram interesse pela compra de algumas das áreas da Vasp. Isso porque a divisão da empresa em unidades - manutenção, transporte de cargas, serviços aeroportuários e treinamento de profissionais, além do transporte de passageiros - deve ser votada na próxima assembléia de credores, marcada para 30 de outubro.Nessa data, os credores também deverão analisar e votar as propostas de compra. Por meio de sua assessoria de imprensa, a OceanAir confirmou o interesse na aquisição, mas disse não ter formalizado oferta.Outros três fundos de investimentos nacionais estariam preparando propostas de compra. ''''São os únicos interessados em adquirir toda a estrutura da empresa'''', disse a fonte.Hoje, a Vasp funciona com 330 funcionários, que prestam serviço de manutenção a outras companhias. ''''A Vasp tem chances de voltar a operar no segundo semestre de 2008'''', afirmou o presidente da diretoria interventora da companhia, Raul Medeiros. Ele avalia que a companhia tem ativos suficientes para saldar suas dívidas.Na assembléia de ontem, também estava prevista a realização de leilões para venda de cotas dos cinco fundos de investimentos (constituídos com ativos da Vasp) aos credores. Uma liminar concedida ao Banco do Brasil, porém, conseguiu suspender os leilões. A nova data não foi definida. A Vasp tem mais de 3 mil credores trabalhistas, que brigam por R$ 900 milhões em ações na Justiça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.