EFE/ Koichi Kamoshida
EFE/ Koichi Kamoshida

Tribunal em Tóquio rejeita segundo pedido para fiança de Carlos Ghosn

Ghosn se comprometeu a usar tornozeleira eletrônica, a entregar seus passaportes (ele é cidadão brasileiro, francês e libanês) e a pagar pelo serviço de vigilância

Redação, O Estado de S.Paulo

22 Janeiro 2019 | 02h34

TÓQUIO -  Um tribunal em Tóquio rejeitou pela segunda vez, nesta terça-feira, 22, um pedido do executivo brasileiro Carlos Ghosn para que uma fiança fosse estabelecida em seu caso. O ex-presidente do conselho de administração da Nissan está preso na capital japonesa desde 19 de novembro, sob a acusação de ter apresentado informações falsas sobre a remuneração que recebia da montadora japonesa.

No novo pedido para que a fiança fosse estipulada, Ghosn se comprometeu a usar tornozeleira eletrônica, a entregar seus passaportes (ele é cidadão brasileiro, francês e libanês) e a pagar pelo serviço de vigilância.

Na semana passada, um pedido semelhante de Ghosn também foi rejeitado pela justiça japonesa. //ASSOCIATED PRESS

Mais conteúdo sobre:
Carlos GhosnNissan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.