finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Tributos sobre lucro fazem arrecadação voltar a crescer

A arrecadação federal somou, em julho, R$ 50,4 bilhões, quase 10% mais do que o obtido no mesmo período em 2006, em termos reais. O que significa uma recuperação do ritmo dos cinco primeiros meses do ano, após a desaceleração de junho. A maioria dos tributos cresceu no mês, mas, sintomaticamente, os principais destaques foram os impostos que incidem sobre o lucro das empresas - Imposto de Renda sobre pessoa jurídica e Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido - e a receita previdenciária. No primeiro caso, o crescimento real foi de 15,9%, ante pífio 0,1% em junho. Já as receitas previdenciárias cresceram 14,8%, ante 9,8% em junho.Outros tributos cujo crescimento merecem destaque são aqueles incidentes sobre as importações, que não param de subir - IPI e parcelas do PIS e da Cofins: alta de 16,3% em julho ante julho de 2006, em termos reais. Um porcentual bem próximo ao crescimento total do primeiro semestre, de 17%, comparado com mesmo período do ano passado.Isso posto, qual seria a tendência daqui para a frente? Para os analistas do Credit Suisse, o crescimento da arrecadação federal deve sim continuar em patamar elevado nos próximos meses. Motivo? Mesmo com a crise internacional que agitou os mercados nas últimas semanas, o País deve manter este ano a combinação de expansão da atividade econômica, com crescimento das importações, mais aumento da massa de rendimentos reais e formalização do mercado de trabalho.A boa notícia, segundo o CS, é que esse forte crescimento real da arrecadação federal continuará garantindo o bom desempenho fiscal do setor público no ano. O banco projeta um superávit primário do setor público de 3,85% do PIB em 2007, um pouco acima da meta do governo, de 3,80%. A má, é que esse aumento da arrecadação dos tributos federais, somado ao aumento de arrecadação do ICMS, vai resultar igualmente em uma significativa alta da carga tributária em 2007. A estimativa do CS, caso não haja atropelos maiores, é que ela chegue aos 35%, ante 34,2%, em 2006.O ministro Guido Mantega, depois de saber da indicação do checo Yosef Tousovsky (ex-presidente do BC local e ex-primeiro ministro) para a presidência do FMI, ligou convidando-o a visitar o Brasil. Segundo Mantega, o Brasil tem interesse no surgimento de uma candidatura alternativa à indicação feita pelo presidente francês Nicolas Sarcozy, de Dominique Strauss-Kahn. Por possibilitar a ampliação do debate em torno da quebra do ciclo vicioso EUA- Comunidade Européia, que dividem entre si as indicações para o FMI e para o Banco Mundial. ''''Os outros países também são membros destas instituições e devem ter a possibilidade de escolha.''''MELHORA DO CONHECIMENTOAo comentar decisões polêmicas na esfera jurídica - principalmente em relação a processos que envolvem a privatização de empresas brasileiras -, em seminário fechado da ABCE, em Brasília, esta semana, a ministra Ellen Gracie, do STF, não titubeou: culpou a resistência ideológica do sistema jurídico ao modelo adotado na privatização.Isto posto, defendeu que as escolas de magistrados incluam no currículo acadêmico cadeiras de ciência política e economia. Com isso, diz, conseguiriam avaliar melhor as repercussões de suas decisões.DÚVIDA QUE VALE BILHÕESO mercado financeiro está impressionado com a quantidade de ''''créditos'''' podres que a Citadel Investment - fundo de hedge conhecido por adquirir empreendimentos com problemas financeiros - está comprando.Será que são tão ''''podres'''' assim?NO MARRepresentantes de todos os setores envolvidos com a pesca comercial no Brasil, da indústria ao pescador artesanal, estão em Brasília. Em audiência hoje, com o presidente do Ibama, vão pedir a revogação da Instrução Normativa 166, que vai proibir a pesca com um tipo de rede considerada predatória pelo instituto. E pedir a inclusão do setor produtivo da pesca no grupo de trabalho criado no ano passado pelo Ibama para discutir a problemática das redes de pesca.OBJETO DO DESEJOEm recente palestra, José Junior, da ONG Afroreggae, que trabalha nas favelas do Rio de Janeiro, surpreendeu.Contou que os caminhões mais assaltados nos morros do Rio são os das Casas Bahia e - pasmem - da Natura.PÉ ATRÁSOntem, pelos mercados de todo o mundo, o dia foi de recuperação de fôlego.Ninguém ainda ousa avaliar que os dias de turbulência são coisa do passado.ONLINEO publicitário Eduardo Fischer fala amanhã no Encontro Nacional dos Anunciantes.Em pauta: o conteúdo de comunicação das marcas diante da nova realidade de relacionamento dos consumidores com as mídias e a propaganda.ISTO É INCRÍVELAnúncio da Total Linhas Aéreas, em enorme placa no Aeroporto Santos Dumont, alardeando sua linha para Macaé: ''''Explore o fundo do mar.''''

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.