Trichet defende euro em meio à crise de dívida da Grécia

O euro é uma moeda estável e confiável, afirmou neste domingo o presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet. Ao receber o prêmio Economia Global pelo Instituto de Economia Mundial de Kiel, na Alemanha, o presidente do BCE exaltou a estabilidade de preços comum à moeda única ao dizer que o BCE trabalhou muito para manter a taxa de inflação dentro da meta estabelecida de próxima a 2% nos últimos 12 anos.

AE, Agencia Estado

19 de junho de 2011 | 09h44

Os comentários de Trichet ocorrem ao mesmo tempo em que os ministros das Finanças da zona do euro estão discutindo em Luxemburgo um segundo pacote de ajuda à Grécia, para evitar que o país entre em default. "Estaremos dessa forma salvaguardando o poder de compra do euro", afirmou Trichet.

A autoridade monetária disse que o BCE vai continuar fazendo o necessário para manter a estabilidade dos preços na região e que este não é um momento de "complacência"

Trichet também comentou que após uma redução parcial induzida pela crise, os desequilíbrios globais estão começando a se ampliar novamente. "A zona do euro é uma marca significativa no reequilíbrio global, principalmente por suas políticas domésticas amplamente saudáveis", mas adicionou que o elevado nível de desemprego na região é inaceitável.

O presidente do BCE afirmou que embora a responsabilidade do BC da zona do euro seja com a política monetária, o banco não é responsável pela política econômica. "A governança da união econômica é insuficiente", tanto na área fiscal quanto na monitoração da competitividade, explicou a autoridade monetária.

Apesar das discussões sobre os desafios da zona do euro, Trichet fez questão de lembrar que o déficit público da região é atualmente cerca da metade do déficit público dos EUA ou do Japão. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
UEGréciacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.