Trichet pede corte de gastos e aumento de impostos

Presidente do BCE afirma que é importante evitar ‘uma assimetria entre um afrouxamento imprudente e uma contenção hesitante indevida’

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

23 de julho de 2010 | 10h20

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, pediu, em artigo publicado pelo Financial Times, que cortes de gastos públicos e aumentos de impostos fossem adotados imediatamente ao redor do mundo industrializado, em meio aos sinais crescentes da recuperação da economia europeia.

Os formuladores de políticas públicas que querem prolongar os estímulos estão enganados e a redução do crédito teria efeitos "muito limitados" sobre o crescimento, escreveu Trichet. "Nós temos de evitar uma assimetria, se for necessário, entre um afrouxamento imprudente e uma contenção hesitante indevida."

"Com o benefício da retrospectiva, vemos quão lamentável foi a mensagem simplista de estímulo fiscal dada a todas as economias industriais, sob o lema: "estimular", "ativar" e "gastar", escreveu o presidente do BCE no artigo. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.