Triciclos ganham espaço em serviços de entregas nos EUA

Veículos fazem sucesso por serem ambientalmente corretos: não poluem e nem causam congestionamentos

The New York Times,

07 de julho de 2013 | 19h24

PORTLAND - A cidade de Portland, no estado americano de Oregon, é conhecida pela grande presença de bicicletas em suas ruas. Mas as bibicletas estão indo além da utilização por esportistas, jovens estudantes e trabalhadores. Ela passou a ser usada também por empresas de entregas.

Pode ser uma pizza, um barril de cerveja ou até uma piscina de hidromassagem. A lista é extensa dos tipos de mercadorias que já foram entregues na base do pedal.

O empresário Franklin Jones é um dos pioneiros no novo serviço. Em 2009, o ex-professor fundou a B-Line Entrega Urbana Sustentável, uma empresa que oferece entregas de assados, café em grão, peças de bicicletas, material de escritório e refeições para clientes de restaurantes.

Com triciclos equipados com baterias elétricas, a empresa faz entregas de qualquer tipo de mercadoria que tenha até 60 metros cúbicos e peso de até 600 quilos.

Ao contrário das vans usadas em entregas urbanas, os triciclos não emitem dióxido de carbono e nem causam congestionamentos.

Jones estima que a B-Line já completou mais de 30 mil entregas que de outra forma teriam sido feitas por veículos movidos a gasolina ou diesel.

Quando chegou a Portland, em 2008, Jones já era adepto das bicicletas. Crescido em

Kentucky, ele era um ciclista competitivo, e depois de se formar na faculdade esteve estudando no Japão. Foi então que resolveu fazer viagem de 17,7 mil quilômetros de bicicleta de Tóquio à Irlanda. Foram 13 meses de viagem.

"Viajando pelo mundo, vi muitas motos que transportam mercadorias e prestam serviços", lembra Jones. "Desde o típico riquixá nas ruas da Índia até motos modernas na Europa levando pão ou entregando encomendas do correio ".

  

Poucos anos depois de voltar para os Estados Unidos, ele começou a pensar em um negócio que poderia montar para "melhorar a habitabilidade geral da comunidade ", diz ele.

Em uma reunião com Paul Gilles, vice-presidente de operações da Coffee Roasting, em Portland, ele disse: "Cara, eu tenho uma maneira muito legal de entregar seu café, vai ser incrível". Era o nascimento da startup de entregas.

Hoje a B-Line faz cerca de 150 entregas por dia para mais de uma dezena de clientes, utilizando uma frota de seis trikes. A empresa deve alcançar faturamento quase R$ 1 milhão este ano, Jones diz.

  

"Historicamente, as empresas que faziam entregas com bicicletas eram muito informais", diz Jennifer Dederich, co-proprietário e gerente de Portland Pedal Power, outra especializada em entrega de bicicletas.

  

"Estamos tentando convencer futuros investidores de que o nosso modelo funciona e que podemos formalizar esta setor de negócio ", diz Dederich. Jones também está buscando atrair investidores para expandir a B-Line para outras cidades.

   

Uma estratégia que tanto B-Line quanto a Portland Pedal Power criaram é revestir os dois lados das caixas de carga com propagandas.

A maioria dos clientes de entrega da B-Line gasta mais para ter o logotipo da empresa apresentado nas bicicletas, e alguns clientes, incluindo o Google eo Museu Oregon de Ciência e Indústria, tem usado B-Line expressamente para publicidade.

Tudo o que sabemos sobre:
bicicletatricicloentregastransporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.