Trigo sobe nos EUA com perdas na Ucrânia e Argentina

Cenário: Ana Conceição

O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2011 | 03h08

Os mercados de commodities agrícolas oscilaram entre pequenas altas e baixas na sexta-feira, dia em que notícias positivas e negativas se alternaram no noticiário internacional, fazendo com que o dólar caminhasse perto da estabilidade ante o euro. Em Chicago, a bolsa de trigo teve alta modesta, tentando sem muito sucesso uma recuperação das fortes perdas da semana. O contrato março subiu 0,78%, para US$ 5,8375 por bushel.

A oferta de trigo no mundo é farta, mas a safra 2011/12 enfrenta problemas e algumas notícias nesse sentido contribuíram para elevar as cotações em Chicago. Na Argentina, a Secretaria de Agricultura surpreendeu ao reduzir, de 13,5 milhões para 12 milhões de toneladas, a estimativa de produção para a temporada. O clima seco em áreas do extremo sul do país afetou a safra, que deve ficar 24% abaixo da anterior. A projeção do governo ficou bem aquém das estimativas privadas. Em outro importante produtor, a Ucrânia, a estiagem também tem feito estragos. O Ministério de Agricultura local estimou que 30% das lavouras plantadas para o inverno foram perdidas e 70% apresentam condições ruins, segundo a agência Dow Jones.

Em Nova York, as commodities tiveram fechamentos divergentes em um dia de baixo volume de negócios. O contrato março do café recuou 1,22%, a 215,10 centavos de dólar por libra-peso. O mesmo vencimento do açúcar subiu 1,45%, cotado a 23,08 centavos de dólar por libra-peso. Depois de disparar durante a semana, o cacau recuou US$ 2,3%, a US$ 2.101/t.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.