seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

TRT pode suspender demissões na Embraer por liminar

Na semana passada, empresa determinou corte de cerca de 20% de seu efetivo, um total de 21.362 empregados

TATIANA FÁVARO, Agencia Estado

26 de fevereiro de 2009 | 19h08

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, em Campinas (a 95 quilômetros de São Paulo), Luís Carlos Cândido Martins Sotero da Silva, vai julgar até esta sexta-feira pedido de liminar para suspensão temporária das demissões de 4,2 mil funcionários dispensados pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) no último dia 19. A Embraer determinou o corte de cerca de 20% de seu efetivo, um total de 21.362 empregados.   Veja Também: As medidas do emprego De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  No processo protocolado hoje por representantes sindicais no TRT regional, os representantes dos trabalhadores pedem a anulação das demissões e a reintegração dos funcionários. "Queremos o efeito suspensivo das demissões enquanto negociamos com a empresa a anulação delas e a readmissão dos trabalhadores, um trâmite que leva mais tempo", afirmou o coordenador nacional da Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas), José Maria de Almeida.O presidente do tribunal também marcou para a próxima quinta-feira (5) uma audiência de conciliação entre representantes dos trabalhadores e da empresa. "Recorremos ao tribunal para acatar esse pedido em caráter liminar e esperamos reverter a arbitrariedade que foi a demissão em massa", afirmou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, Adilson dos Santos. "Sempre tentamos negociar, mas a empresa mandou várias comunicações dizendo que não haveria demissões."A Embraer informou, por meio de assessoria, que não se pronunciaria sobre o assunto nesta quinta-feira. Ontem, o presidente da empresa, Frederico Curado, afirmou que não haverá revisão das demissões anunciadas na semana passada. De acordo com Curado, a empresa teve de reduzir o seu quadro de pessoal em razão da significativa queda nas encomendas de aviões no mercado externo até 2012, por cancelamentos ou adiamentos, que chegariam a 30%, segundo o presidente da Embraer.

Tudo o que sabemos sobre:
demissõesEmbraerTRT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.