Mandel Ngan/AFP
Mandel Ngan/AFP

Trump diz que acordo com China é possível, mas que está feliz com estado atual da relação com o país

Os presidentes dos EUA e da China vão se encontrar durante reunião do G-20 no Japão; secretário do Tesouro norte-americano afirmou que acordo comercial entre os países está 90% completo

Victor Rezende e Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2019 | 10h32

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira, 26, que, nos últimos dias, autoridades americanas estiveram conversando "seriamente" com a China sobre as relações comerciais entre os dois países e disse que "é possível" que um acordo seja alcançado, embora tenha ressaltado que se sente "feliz" com o estado atual das relações sino-americanas. De acordo com ele, a questão da propriedade intelectual ainda está aberta nas negociações com a China.

Em entrevista à rede de TV americana Fox Business, Trump apontou que mais US$ 300 bilhões em produtos chineses podem ser tarifados em 25%, "ou, talvez, em 10%", se um acordo com Pequim não for firmado. "Meu plano B, que, na verdade, é o meu plano A em relação à China, é fazer menos negócios e tirar bilhões deles se não fecharmos acordo", disse o republicano.

O presidente apontou que o desejo dos chineses de fazer um acordo "é maior do que o meu" e ressaltou que sua equipe já está trabalhando em novas tarifas a produtos chineses.

Trump também criticou a desvalorização do yuan e disse que um acordo sobre essa questão também precisa ser alcançado durante o encontro do G-20, que começa na próxima sexta-feira, 28, em Osaka, no Japão. No fim de semana, o líder americano se reunirá com o presidente chinês, Xi Jinping, para discutir a guerra comercial entre os dois países. 

90% completo

O Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, disse que o acordo comercial entre os Estados Unidos e a China está "90% completo" e mostrou confiança de que haverá avanço nas conversas que os líderes dos dois países terão no fim de semana.

"Estávamos cerca de 90% do caminho (para um acordo) e acho que há um rumo para completar isso", afirmou também nesta quarta Mnuchin em entrevista à emissora americana CNBC.

"Estou esperançoso de que podemos seguir adiante com um plano...o presidente Trump e o presidente Xi têm uma relação de trabalho muito próxima. Tivemos uma reunião produtiva no último G-20", disse Mnuchin à CNBC, referindo-se à cúpula do G-20 realizada na Argentina em dezembro do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.