Evan Vucci / AP
Evan Vucci / AP

Trump: 'Se impuséssemos tarifas a automóveis, mais carros seriam construídos aqui'

O presidente dos Estados Unidos voltou a criticar a GM em seu Twitter; após declarações, ações de montadoras operam em queda

Monique Heeman, O Estado de S.Paulo

28 Novembro 2018 | 13h35
Atualizado 29 Novembro 2018 | 12h45

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar a General Motors em seu Twitter. Segundo ele, se o governo impusesse tarifas sobre automóveis, a empresa não precisaria fechar fábricas em Ohio, Michigan e Maryland, como anunciou. Após a declaração, as ações das montadoras passaram a operar em baixa na Bolsa de Nova York.

"A razão pela qual o negócio de caminhões pequenos nos EUA é tão grande é que, por muitos anos, as tarifas de 25% foram impostas sobre aqueles que entram em nosso país", escreveu Trump. "Se fizéssemos isso com carros importados, muito mais carros seriam construídos aqui e a GM não fecharia suas fábricas em Ohio, Michigan e Maryland". O presidente também afirmou que "por causa da GM, isso está sendo estudado agora!".

Às 14h20 (de Brasília), GM recuava 1,38%, Ford caía 0,16% e o papel da Fiat tinha baixa de 1,17%. Entre os índices, o Dow Jones subia 0,72%, o Nasdaq avançava 0,33% e o S&P 500 tinha ganho de 0,32%.

A GM anunciou na última segunda-feira, 26, planos de cortes de mais de oito mil funcionários na América do Norte, além do encerramento da produção em três fábricas, potencialmente afetando outros seis mil empregos na linha de montagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.