TRW vai produzir airbags no Brasil

Empresa confirmou ontem que fábrica entra em operação em 2009

Cleide Silva, O Estadao de S.Paulo

28 de maio de 2008 | 00h00

A TRW Automotive, fabricante no Brasil de cintos de segurança, volantes, sistemas de freio e peças para motores, iniciará a produção de airbags no País no primeiro semestre de 2009. Serão investidos R$ 15 milhões no projeto e a previsão inicial é de 120 mil peças por ano.Atualmente, a bolsa que infla quando há uma colisão forte equipa 26% dos automóveis produzidos no Brasil, índice que irá a 33% em 2012, segundo cálculos das fabricantes. Nos Estados Unidos, Japão e Europa Ocidental, o item de segurança está em 100% dos carros novos.Hoje, só a Takata, de Jundiaí (SP), e a Autoliv, de Taubaté (SP), montam airbags no País, com mais da metade de componentes importados. A Takata deve produzir 700 mil peças este ano, 45% a mais que em 2007. A empresa tem capacidade para 1 milhão de unidades/ano e investirá R$ 4 milhões em modernização e novos produtos. A Autoliv monta cerca de 150 mil peças/ano.A TRW não definiu qual das fábricas receberá a linha de airbags, se a de Limeira (SP) ou a de Lavras (MG). Serão criadas 120 vagas. O grupo emprega 5 mil funcionários e também tem filiais em Engenheiro Coelho e Três Corações (MG) e em Santo André, São Bernardo do Campo e Taubaté (SP).A TRW previa iniciar a produção no fim deste ano, mas teve de transferir para o próximo por causa de negociações com clientes. A empresa também negocia a nacionalização do fio de nylon usado na bolsa. Só o gerador do gás que infla a bolsa será importado. "O fio é especial, pois o nylon precisa resistir a grandes impactos", informa o diretor da TRW, Wilson Rocha.Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que obriga as montadoras a equipar todos os veículos novos com airbag nos bancos dianteiros (condutor e passageiro). O projeto passará por novas votações e depois seguirá para sanção presidencial.Pelo projeto, no primeiro ano da lei 30% dos carros terão de sair de fábrica com airbags, porcentual que sobe para 50% no terceiro e 100% no quinto ano. De acordo com a TRW, em 2007 apenas 25% dos automóveis e comerciais leves tinham airbag, participação que este ano irá a 26%. "Isso sem contar a aprovação da lei, que elevaria o índice para 50% em 2012 e 100% em 2014", diz Rocha.Todas as montadoras trabalham no desenvolvimento do sistema para os carros feitos no Brasil, incluindo os populares. Hoje, o sistema é comum em carros mais caros, como Honda Civic, Toyota Corolla, Chevrolet Vectra e Peugeot 307. Nesse segmento, 68% dos modelos têm o item. No segmento de compactos não populares, o sistema equipa 17% dos carros.O airbag frontal custa entre R$ 1,5 mil e R$ 2,5 mil, mas dificilmente é oferecido sem outros itens, como freio ABS, também importante para a segurança. A massificação certamente baixará os preços, diz Rocha.Em carros de alto luxo, além de air bag frontal há os laterais e bolsas para joelhos. Nos EUA, em três anos os carros serão obrigados a ter air bag externo, que evitará ferimentos em pedestres no caso de atropelamentos.O diretor do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcelo Piancastelli, calcula que de 38 mil a 45 mil pessoas morrem por ano no Brasil em acidentes de trânsito. O órgão fez ampla pesquisa em 2005 e constatou que o custo dos acidentes só nas rodovias federais era de R$ 22 bilhões.NÚMEROS26%dos carros novos são equipados com airbag no BrasilR$ 15 milhõesé o investimento da TRW na produção local do componente700 milunidades é quanto a Takata produzirá este ano em Jundiaí38 a 45 milpessoas morrem por ano no País em acidentes de trânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.