REUTERS/Alkis Konstantinidis
REUTERS/Alkis Konstantinidis

Tsipras diz que Grécia voltará ao mercado de capitais em dois anos

Em seu primeiro discurso após eleições de setembro, premiê grego reafimou compromisso com austeridade

O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2015 | 20h56

ATENAS - O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, reafirmou seu comprometimento com o novo programa de resgate financeiro e disse que seu país poderá retornar ao mercado de capitais dentro de dois anos.

Em seu primeiro discurso no Parlamento desde que venceu as eleições de setembro, o primeiro-ministro grego disse que seu governo vai avançar com a austeridade que foi acordada com os credores internacionais, mas também prometeu suavizar algumas das políticas dolorosas. "Temos plena consciência de que, apesar dos aspectos positivos do acordo, ele também contém pontos difíceis", comentou.

Tsipras disse que o governo vai tentar encontrar "antídotos" para aliviar a carga dos pesados aumentos de impostos e dos cortes de gastos necessários na Previdência Social sob os termos de resgate. Ele prometeu suspender um aumento previsto na tributação das escolas privadas, uma medida que teria atingido muitas famílias de classe média.

Em reunião hoje em Luxemburgo, os ministros de Finanças da zona do euro chegaram a um acordo sobre uma lista de revisões econômicas que a Grécia deve implementar para obter sua próxima fatia de ajuda financeira, ao mesmo tempo em que pediam ao governo grego para aprovar as reformas necessárias rapidamente de forma a impulsionar sua economia e sustentar seus bancos em dificuldades.

Atenas deve completar dois conjuntos de revisões econômicas e financeiras nas próximas semanas para desbloquear 3 bilhões de euros, que deverão ser liberados em duas etapas, conforme as reformas ocorram.

Lançando um debate parlamentar de três dias sobre o programa de política do governo, que terminará com um voto de confiança na quarta-feira à meia-noite, Tsipras se comprometeu a levar a Grécia a sair da crise nos próximos quatro anos, acrescentando que o país voltará a crescer no primeiro semestre de 2016. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
alexis tsiprasgrecia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.