Sergio Moraes/Reuters - 4/2/2020
Sergio Moraes/Reuters - 4/2/2020

TST anuncia bloqueio cautelar nas contas dos sindicatos de petroleiros em greve

Presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, recorreu à rede de comunicação interna da empresa para pedir que grevistas retomem as atividades

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2020 | 21h51
Atualizado 14 de fevereiro de 2020 | 11h04

O ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra, decidiu acatar pedido da Petrobrás para que as atividades das suas unidades sejam imediatamente normalizadas, depois que a liminar concedida no dia 4 não surtiu efeito, segundo decisão publicada nesta quinta-feira, 6. Segundo o ministro, desde a liminar, o movimento grevista vem aumentando e atingindo mais unidades operacionais da estatal.

O TST ordenou o bloqueio das contas dos 14 sindicatos de petroleiros em greve desde o dia 1º de fevereiro e incluiu o Sindicato dos Trabalhadores de Destilação e Refino de São José dos Campos e Região, que teria aderido ao movimento grevista. Ordenou também a suspensão do repasse das mensalidades aos sindicatos e permitiu que a Petrobrás faça contratações emergenciais de pessoas e serviços "para suprir eventual falta de pessoal decorrente do descumprimento da decisão judicial" publicada na última quarta-feira.

De acordo com o despacho, os petroleiros não estariam rendendo as equipes das unidades, trazendo insegurança às operações e não cumprindo a determinação de manter 90% do quadro efetivo.

Comunicado do presidente da Petrobrás

Às vésperas de um grande ato na frente da sede da estatal, marcado para a sexta-feira, 7, no centro do Rio de Janeiro, o presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, recorreu à rede de comunicação interna da empresa para se posicionar sobre a greve iniciada no último sábado pela Federação Única dos Petroleiros (FUP). No vídeo, o executivo pede que os grevistas retomem suas atividades.

"Peço aos empregados que aderiram à greve que reflitam e retornem ao trabalho. Sua presença e participação são extremamente importantes para o futuro da Petrobrás. As pessoas são a joia da coroa dessa companhia", afirma Castello Branco. Em outro trecho, diz também que a paralisação tem "evidentes objetivos políticos".

Está marcada para as 10h da sexta uma mobilização na frente da estatal com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele estará no Rio para participar das comemorações pelos 40 anos do PT e iniciará sua agenda na cidade com a manifestação.

Segundo o presidente da Petrobrás, o encerramento da produção da Araucária Nitrogenado, no município de Araucária (PR), principal motivo da paralisação dos petroleiros, teve motivação financeira. A hibernação da subsidiária foi anunciada no dia 14 de janeiro, após aprovação do Conselho de Administração da estatal.

Castello Branco iniciou sua fala se referindo aos empregados como "colegas" e agradecendo os funcionários que integram as equipes de contingência nas unidades onde avança a paralisação. "Hoje, eu me dirijo mais especialmente àqueles que desde o início do movimento grevista estão em nossas plantas, unidades de produção e logística integrando as equipes de contingência, dobrando nos turnos, mantendo assim as operações com segurança e integridade", diz. Em seguida, acrescenta que o pessoal de contingência é "motivo de orgulho da Petrobras" e "verdadeiros profissionais, que se dedicam com paixão ao trabalho".

Falta de quadro

Segundo a ordem judicial, seriam os seguintes os efetivos disponíveis nesta quinta:

Refinarias: Lubnor (36%), Recap (14 %) , Reduc (35 %) , Refap (0%) , Regap (22%) , Reman (26%) , Repar (35 %) , Replan (23 %) , Revap (50 %) , Rla n (41%) , Rnest (0%) , Rpbc (65%) , Six (13 %)

Plataformas: UN - BA OP (5%) , UN - BC P- 20 (61 %) , UN - BC P- 32 (61 %) , UN - BC P- 35 (56%) , UN - BC P- 47 (36%) , UN - BC P- 48 (81 %) , UN - BC CH - 1 (54 %) , UN - ES P- 3 1 ( 4 7%) , UN -ES P- 50 ( 4 2%) , UN - ES P- 55 (49 %) , UM - RN/CE CE - M (0 %) .

O ministro afirma ainda em seu despacho que a estatal está aberta a negociações, desde que a paralisação seja suspensa. Procurada, FUP ainda não se pronunciou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.