TST: Funcionários do Banco do Brasil terão reajuste de 8,5%

O ministro relator do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Antônio Barros Levenhagen, acaba de proferir parte do seu voto no julgamento do dissídio coletivo dos bancário do Banco do Brasil. O ministro concedeu reajuste de 8,5%, incidente sobre o salário de agosto de 2004. O ministro praticamente repetiu a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), ao dar um abono de R$ 30,00 a ser incorporado ao salário de quem ganha até R$ 1.500,00. Depois dessa incorporação, também será aplicado o porcentual de 8,5%.Levenhagen também concedeu um abono de R$ 1 mil, desvinculado do salário, a ser pago de uma única vez, para os funcionários do BB. O voto do relator foi acompanhado por unanimidade pelos seus colegas do TST, inclusive pelo presidente Vantuil Abdala.Ainda serão votadas as questões dos dias parados e da abusividade da greve, pedida pelo BB. O ministro relator já deu o seu voto e os demais ministros estão se pronunciando. O relator declarou a abusividade da greve pelo seu aspecto formal porque, segundo ele, os sindicatos não cumpriram a legislação que determina o aviso com antecedência do movimento. Por outro lado, o relator disse que o Banco do Brasil não poderá usar da abusividade para causar qualquer prejuízo funcional aos seus trabalhadores. O relator determinou que o BB pague 50% dos dias parados e que os bancários compensem os outros 50%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.