TST: greve do Banespa acaba amanhã

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Almir Pazzianotto, encerrou há pouco a audiência de conciliação, entre representantes da diretoria e funcionários do Banespa, que decidiu pelo fim da greve e o retorno ao trabalho a partir de amanhã. O acordo prevê o reajuste salarial pelo índice que vier a ser fechado entre a Federação Nacional dos Bancos (Febraban) e o sindicato dos bancários. O sindicato quer o reajuste de 9,22% e a Federação oferece 7,2%. Esse porcentual é superior aos 5% propostos pela direção do Banespa para os seus funcionários. O acordo prevê também o pagamento dosdias parados entre 31 de outubro e 9 de novembro, sem reflexo na vida funcional dos trabalhadores (retaliações). Os funcionários do Banespa não conseguiram a garantia de emprego após a privatização do banco. A proposta do ministro Pazzianotto de um abono de R$ 3 mil também não foi aceita pela direção do Banespa. Fica mantida, porém, a cláusula do acordo que garante a participação dos trabalhadores sobre o lucro da instituição de 80% sobre o salário base, mais R$ 400, limitado ao valor individual de R$ 3.250,00. Veja em matéria a seguir como proceder até o final da greve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.