Divulgação
Divulgação

Tubarões voadores de ‘Sharknado’ fazem inveja a Godzilla e National Kid

Filme trash com enredo absurdo que mistura predadores marinhos e tornado faz sucesso na internet 

12 de julho de 2013 | 16h19

SÃO PAULO - Um novo filme de tubarões feito para a TV americana está causando muita discussão, pelo absurdo do enredo que lembra os antigos filmes japoneses de monstros como Godzilla e National Kid

'Sharknado', uma produção da companhia The Asylum para o canal SyFy, conta uma história de tubarões que são lançados pelos ares por um tornado e saem voando e dando dentadas para todos os lados.

Os predadores do mar dão vôs rasantes e levam pânico e terror à cidade de Los Angeles. O filme está sendo considerado tão trash que não pode deixar de ser visto. Pela repercussão nas redes sociais, deve tornar-se sucesso de bilheteias de vendas, além de ganhar espaço no mercado de licenciamentos.

Trailer oficial de 'Sharknado':

O filme é ao mesmo tempo apocalíptico e sem sentido, conforme definiu o jornal italiano Corriere Della Sera. O inusitado começa pelo título, um neologismo que combina tubarões (shark) e tornado.

Os roteiristas de Hollywood, aparentemente estão buscando formas mais criativas de destruição do mundo, depois de tantas já filmadas. Mas muitos críticos estão achando que desta vez eles exageraram.

É tão absurdo que virou piada nas redes sociais, com críticas até de personalidades famosas do cinema. A atriz Mia Farrow escreveu no Twitter: "Oh meu Deus, oh meu Deus!"

Alguns fazem alusões a questões políticas e ao casamento gay, agradecendo o presidente Barak Obama por esta nova tragédia.

Um internauta da Costa Leste pede aos telespectadores na Costa Oeste: "Por favor, não me diga como o filme termina. Nem como começa e o que  acontece no meio".

 

Melhores cenas de tubarões no cinema, selecionadas pelo Huffington Post:

Tudo o que sabemos sobre:
tubarãotubarõesvoadoressharknado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.