Imagem Adriana Fernandes
Colunista
Adriana Fernandes
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Tuíte de Bolsonaro sobre leite foi aviso à equipe econômica

Mensagem do presidente revela dificuldades que Paulo Guedes terá para manter as principais diretrizes da sua política econômica

Adriana Fernandes*, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2019 | 14h22

A comemoração no Twitter pelo presidente Jair Bolsonaro do recuo da equipe econômica em relação à decisão tomada sobre a questão da importação de leite em pó é emblemática. A mensagem do presidente revela as dificuldades que o ministro Paulo Guedes terá para manter as principais diretrizes da sua política econômica.

Pressionado pelos produtores de leite nas redes sociais, o presidente conversou anteontem com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e mandou a equipe econômica voltar atrás e anunciar ontem à Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) uma solução: o aumento do Imposto de Importação para compensar o fim da sobretaxa ao leite em pó, editada na semana passada.

Em mensagem no Twitter, Bolsonaro não só avisou que estava mantido o nível de competitividade do produto com outros países como deu crédito à ministra Tereza Cristina, que tem feito alertas para o risco de mudanças abruptas na política agrícola afetarem o setor de agronegócios, que responde por uma parcela grande PIB.

A queda de braço com a ministra da Agricultura revela que o ministro terá dificuldade para implementar a política de aumento da competitividade, abertura comercial e reversão da proteção dada a setores econômicos por meio de incentivos do governo.

O presidente reclamou com Guedes de não ter sido consultado e o ministro foi na segunda-feira à noite ao Ministério da Agricultura conversar com Cristina para, juntos, encontrarem uma solução para o impasse.

Embora o gesto de Guedes tenha sido bem recebido, prevaleceu a posição do setor agronegócio.

*JORNALISTA DO BROADCAST

Mais conteúdo sobre:
leiteJair BolsonaroPaulo Guedes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.