Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Tupi não diminui importância do biocombustível, diz Lula

Segundo Celso Amorim, presidente afirma que prioridade do governo continuará a ser o etanol

Leonencio Nossa, do Estadão,

12 de novembro de 2007 | 16h34

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, durante almoço com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, no Palácio do Itamaraty, que o governo brasileiro continua dando prioridade à política de biocombustíveis, mesmo após a descoberta das grandes reservas de petróleo que aumentam em 50% os atuais estoques brasileiros do combustível."O presidente Lula disse que isso (a descoberta) não vai diminuir em nada nossa prioridade em relação aos biocombustíveis, que é independente de nos tornarmos exportadores de petróleo", relatou o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. O chanceler contou também que Ban Ki-moon disse que o Brasil é um país importante que deve ser bastante ouvido em um encontro que as Nações Unidas promoverão em Bali, brevemente, para discutir a questão das mudanças climáticas. "O secretário-geral da ONU disse que o caminho para Bali passa por Brasília", informou Amorim. Doha Amorim informou também que o presidente conversou por telefone com o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, sobre as negociações comerciais no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC). "O presidente Lula disse ao primeiro-ministro que o desejo do Brasil é o de negociar e que não há nenhum desejo de bloquear a Rodada Doha", informou o chanceler. Segundo ele, Lula disse ainda a Brown que espera que, na reunião de representantes do G-20 marcada para depois de amanhã, em Genebra (Suíça), os países possam chegar a um resultado "ambicioso e equilibrado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.