"Turbulências políticas" afetaram confiança do consumidor

O economista Aloisio Campelo, responsável pela divulgação da Sondagem de Expectativas do Consumidor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), disse que as "turbulências políticas" estão tornando os consumidores mais insatisfeitos e pessimistas em relação à situação atual e futura do País. Segundo ele, a CPI dos Correios é o principal fator político atual que está afetando as expectativas.Segundo a sondagem de maio divulgada hoje pela FGV, 28,2% dos entrevistados - chefes de domicílios em 12 capitais - consideram que a situação econômica atual é pior do que a seis meses atrás. Em abril, o porcentual era de 25,8%.Por outro lado, os entrevistados estão menos insatisfeitos no que diz respeito à situação econômica da família em relação a seis meses atrás: 21,7% avaliaram, em maio, que a situação está melhor, ante 20,4% em abril.Campelo explica que, "no caso da família, o consumidor tem mais controle sobre a situação, mais parâmetros da realidade". No caso da situação do País, a avaliação é sempre mais volátil na pesquisa. "A situação econômica do País é muito afetada pelo noticiário, então as turbulências políticas afetam muito. O principal acontecimento nesse caso é a CPI dos Correios", disse.Para os próximos seis meses, 16,2% dos entrevistados acreditam que a situação econômica do País está pior em relação ao momento atual, ante 14,8% em maio. No caso da situação econômica da família, o otimismo é maior, já que apenas 6,5% acreditavam, em maio, que a situação estará pior, ante 8% em abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.