Turismo: comprar traveller é mais seguro

Para quem vai viajar ao exterior, o mais seguro é comprar traveller checks, pois o risco de falsificação é praticamente nulo e, em caso de perda ou roubo, o consumidor é reembolsado pela empresa emissora ainda durante a viagem. Muitas instituições financeiras emitem os cheques de viagem, por isso é aconselhável verificar qual a estrutura do emitente no exterior. Quanto mais pontos de atendimento, mais conveniente será a entrega de cheques em caso de emergências. Além disso, normalmente, as agências da instituição no exterior recompram os travellers a taxas mais elevadas que outros bancos e casas de câmbio locais.Mas, se preferir comprar papel-moeda, o turista deve verificar a autenticidade das notas e guardá-las bem. O turista é sempre muito vulnerável, pois circula por lugares desconhecidos e tem dificuldade em se sair das situações mais simples em países estrangeiros, especialmente quando não fala a língua do local e tem pouca experiência de viagem. No mínimo, deve guardar as notas, assim como os principais documentos em um cinto por dentro da roupa, que é vendido em aeroportos e lojas de malas e equipamentos para viagem. Outros documentos importantes também podem ser guardados no cinto ou em um cofre seguro no hotel, como passagem, passaporte e seguro-viagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.