Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Turismo: dólar caro frustra viagem internacional

Quem pretendia passar as férias no exterior, principalmente nessa época em que o clima começa a melhorar no hemisfério norte, assusta-se com a alta do dólar. Muitos turistas já mudaram de idéia e marcaram viagens nacionais, ou acabaram se resignando com os preços mais altos e pacotes mais curtos e simples. As empresas oferecem promoções para não perder passageiros, mas não conseguem compensar as fortes altas. A moeda norte-americana já quebrou vários recordes históricos, tendo chegado, na quarta-feira, dia 16, à cotação oficial do comercial para venda de R$ 2,3384. No mesmo dia, o dólar turismo para venda fechou o dia negociado a R$ 2,36. Normalmente, o turista que viaja para o exterior, começa a poupar e planejar as férias com meses de antecedência. Acompanhando a evolução das cotações do dólar, entende-se o susto e a decepção. Em 16 de maio do ano passado, a cotação oficial do comercial para venda estava em R$ 1,8382, caindo para R$ 1,7748 em 1º de agosto. A partir daí, só se registraram altas. A valorização da moeda norte-americana no ano, até o dia 16, é de 19,59%, e considerando-se o valor de 1º de agosto, o dólar está 27,21% mais caro. Acompanhe as tendências do câmbio na coluna de investimento do finanças pessoais (ver link abaixo).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.