Turismo e motos terão linha do FAT

Crédito visa a estimular setores com potencial de criar empregos

Isabel Sobral, O Estadao de S.Paulo

28 de maio de 2009 | 00h00

As pequenas empresas de turismo e o setor de motocicletas terão à disposição, nos próximos dias, duas novas linhas especiais de crédito com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que serão operadas pelo Banco do Brasil e pela Caixa Econômica Federal.O Conselho Deliberativo do FAT (Codefat) - gestor do fundo formado por representantes do governo, das centrais sindicais e de empresários - autorizou a liberação de R$ 100 milhões para o financiamento da compra de motos com até 150 cilindradas e de outros R$ 200 milhões para capital de giro dos empreendimentos turísticos. O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, disse ontem que o objetivo das medidas é aumentar a oferta de crédito para setores com potencial de maior geração de empregos. No caso das motocicletas, serão financiadas apenas pessoas físicas. A iniciativa também visa a estimular as vendas e a produção dos veículos, principalmente, das indústrias da Zona Franca de Manaus. "O tomador do crédito pode ser um trabalhador autônomo, terceirizado ou formalizado que usa a moto como seu instrumento de trabalho." Os juros máximos dos empréstimos vão variar de acordo com o prazo. Para empréstimos de até 24 meses, a taxa será de até 1% ao mês. De até 36 meses, o limite dos juros é 1,46% ao mês e, nos créditos de até 48 meses, a taxa não poderá ultrapassar 1,90% ao mês. "Pretendemos negociar com os bancos públicos uma redução dessas taxas", afirmou Lupi. Para o turismo, serão privilegiados os pequenos empreendimentos e, por isso, haverá limites individuais de crédito que devem variar de R$ 5 mil a R$ 10 mil por empresa. No total, estarão disponíveis R$ 200 milhões. Os empréstimos poderão ter dois tipos de juros: pós-fixado, de TJLP (atualmente em 6,25% ao ano) acrescido de até 2,8% ao ano, e prefixado, de até 8,5% ao ano. Lupi informou ainda que "uma grande surpresa" nessa linha será anunciada no dia 8 de junho, em cerimônia no Rio. SEGURO-DESEMPREGO O Ministério do Trabalho iniciou ontem a informatização da concessão do seguro-desemprego. Segundo Lupi, uma experiência piloto começará esta semana no Distrito Federal e deverá durar entre 60 e 90 dias. A ideia é que os empregadores, ao demitir um empregado, enviem pela página eletrônica do Ministério do Trabalho na internet os dados da dispensa para o banco de dados do ministério.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.