Turismo: prefira levar euro à Europa

A circulação do euro desde o dia 1.º vai facilitar a escolha de moeda pelo turista que vai à Europa. A nova moeda foi adotada por 12 dos 15 países da União Européia (Reino Unido, Dinamarca e Suécia ainda não aderiram a ela). O processo de substituição de algumas das moedas mais estáveis do mundo, como o marco alemão e o franco francês, pelo euro será gradual e deverá levar algum tempo. Mas, segundo especialistas, para o turista, o mais seguro e barato é levar euros do Brasil.As novas cédulas e moedas foram adotadas na virada do ano. Mas os prazos de adoção variam em cada país e as moedas nacionais ainda em vigor valerão no comércio, em geral, até a meia-noite de 28 de fevereiro.A maioria dos turistas prefere comprar dólares em espécie ou traveller checks e realizar operações de câmbio nos países em que o dólar não é a moeda oficial. A desvantagem disso é pagar taxas em cada conversão. Com o euro, isso deixa de existir dentro dos limites da União Européia e, se levar a nova moeda, o turista pagará pela operação apenas uma vez, ao trocar os reais por euro. Nos países em que o euro ainda não foi adotado, segundo o diretor de câmbio da Cotação DTVM, Nélson Gasparian, é mais vantajoso levar a moeda local.Até a semana passada, o turista estava encontrando dificuldades para comprar o euro no Brasil. Segundo Gasparian, a Cotação DTVM já tem a nova moeda disponível em notas ou travellers. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-146777 ou no site www.cotacao.com.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.