REUTERS/Umit Bektas
REUTERS/Umit Bektas

Turquia impõe tarifas sobre US$ 533 milhões em produtos importados dos EUA

Decisão impõe tarifas extras sobre itens como arroz, álcool, carvão e cosméticos americanos

AP

15 de agosto de 2018 | 03h56
Atualizado 15 de agosto de 2018 | 12h55

ANCARA - A Turquia anunciou nesta quarta-feira, 15, uma elevação das tarifas de importação sobre 22 tipos de produtos americanos – num total de US$ 533 milhões, afirmou a ministra  do Comércio da Turquia, Ruhsar Pekcan. A retaliação agrava a disputa comercial com os Estados Unidos, que foi um dos gatilhos para a recente crise cambial no país. Na semana passada, Washington decidiu dobrar a tarifa de importação sobre o aço e o alumínio turcos.

Em uma decisão anunciada no Diário Oficial, o país afirmou que está impondo tarifas extras sobre itens como arroz, álcool, tabaco, carvão e cosméticos. "Nós respondemos às sanções com US$ 533 milhões em tarifas extras", afirmou Pekcan, segundo a agência estatal Anadolu. "Os Estados Unidos são um importante parceiro comercial, mas não são nosso único parceiro. Temos outros parceiros e mercados alternativos."

Pekcan disse que a Turquia continuará a "proteger os direitos de companhias turcas e retaliar" contra as ações que o país considera injustas dos Estados Unidos.

No Twitter, o vice-presidente da Turquia, Fuat Oktay, afirmou que a medida foi imposta "em retaliação ao consciente ataque econômico dos Estados Unidos". Nas últimas semanas, a lira recuou a patamares mínimos ante o dólar, com desvalorização acumulada de cerca de 42% este ano.

 A decisão de impor novas tarifas ocorreu um dia depois de o presidente Recep Tayyip Erdogan dizer que iria boicotar os produtos eletrônicos do Estados Unidos, destacando os celulares iPhone. Ele sugeriu que o país iria comprar celulares locais ou da Coreia, embora não tenha ficado claro como ele faria esse boicote.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.