TV digital pode deixar milhões de americanos com a tela vazia

Sinal analógico deixa de ser transmitido hoje, mas nem todos se prepararam

, O Estadao de S.Paulo

12 de junho de 2009 | 00h00

Quase 2,8 milhões de lares americanos poderão despertar amanhã com uma tela de TV vazia. À zero hora de hoje, todas as estações de televisão extinguiram os sinais analógicos que transmitiram programas antológicos como I Love Lucy e o Cosby Show para milhões de salas de estar, marcando a maior mudança na televisão desde o advento do Tecnicolor. Em seu lugar, as emissoras vão colocar no ar uma nova linhagem de transmissões digitais visando a trazer sons e imagens mais nítidos para programas como American Idol.Ao fim dessa muito esperada e complexa transição, o governo terá faturado US$ 20 bilhões com a venda das velhas ondas aéreas analógicas, a indústria de telecomunicações poderá oferecer serviços sem fio de alta velocidade inteiramente novos e agentes de segurança pública terão acesso a ondas aéreas para uma nova rede nacional de comunicações.Mas os consumidores foram relegados a lidar com alguns resultados insatisfatórios da transição mal gerenciada pelo governo. A campanha de educação foi mal coordenada, um programa federal para ajudar consumidores a pagar pelas caixas de conversão ficou sem dinheiro e muitos consumidores não foram informados de que poderiam precisar de um equipamento extra para receber o serviço de TV.Os mais ameaçados de perder programação - telespectadores de baixa renda, idosos, não falantes de inglês e residentes na zona rural - estão entre os mais de 14 milhões de lares que dependem principalmente de sinais abertos para receber alertas críticos de segurança pública, noticiários e previsões do tempo. "Os problemas para essas pessoas serão muito maiores que os previstos", disse John Carey, professor de comunicações e gestão de mídia da Fordham University.Os aparelhos analógicos mais velhos, que dependem de antenas internas, vão precisar de uma caixa de conversão que custa entre US$ 50 e US$ 80. Os aparelhos de TV com sintonizadores digitais receberão transmissões, mas os telespectadores terão de ajustar as antenas e, em alguns casos, instalar outras mais potentes.Boa parte da campanha federal se concentrou apenas em levar os consumidores a comprar caixas conversoras. Os críticos dizem que as autoridades esperaram demais para dizer aos telespectadores que eles provavelmente precisarão de uma nova antena e terão frequentemente de rastrear canais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.