TV digital pode estrear sem definição sobre bloqueio

Para ministro, 'nada impede' que estréia se dê sem definição sobre cópia de programas

Luciana Nunes Leal, Agência Estado

16 de outubro de 2007 | 13h10

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse nesta terça-feira, 16, que "nada impede" que a TV digital comece a funcionar sem que esteja decidido se os telespectadores poderão ou não gravar programas e reproduzir em outros aparelhos. Há uma dúvida sobre bloqueio de conteúdo dos programas da TV digital, que tem previsão para entrar em operação a partir de 2 de dezembro. Veja também: Emissoras veiculam propagandas sobre a TV digital Ouça o podcast Direto da Fonte, com Sonia Racy, sobre TV digital Veja o que já foi publicado sobre TV digital "Nunca se pretendeu fazer qualquer bloqueio do que é transmitido pela televisão. O que se propôs foi que nas transmissões de alta definição - exclusivamente nas transmissões de alta definição - você tivesse um sistema colocado que permitiria lá na frente decidir se nós vamos autorizar mais de uma gravação ou não. Porque uma gravação automaticamente já está permitida", afirmou o ministro. Atualmente há uma dúvida sobre que tipo de gravação poderá ser feita a partir das TVs digitais. As emissoras de TV defendem que exista um dispositivo que permita a gravação para que o programa seja visto apenas no próprio aparelho, impedindo a gravação em CDs e DVDs e a conseqüente reprodução. A proposta das TVs é defendida pelo ministro. A decisão final depende, no entanto, de uma reunião do Comitê de Desenvolvimento da TV Digital, formada por nove ministros e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.