TV faz seu grande show em Las Vegas

Feira mostra novas tecnologias, como a TV tridimensional

Ethevaldo Siqueira, O Estadao de S.Paulo

15 de abril de 2008 | 00h00

Nunca um evento mundial de televisão mostrou tantas opções tecnológicas inovadoras como este NAB Show 2008, aberto ontem aqui em Las Vegas. Além das imagens de alta definição (HDTV), a feira mostra os avanços tecnológicos como a Ultra-High Definition TV (U-HDTV), televisão tridimensional (3D), os televisores de diodos de luz orgânicos (OLED, de Organic Light Emitting Diode) e os monitores de plasma de grandes dimensões, quebram a barreira das 150 polegadas de diagonal (3,81 metros). Mais informações/u>Nem todas as inovações estarão no mercado antes de três anos, mas mostram claramente duas tendências: telas cada vez maiores e imagens cada vez melhores. Exemplo traduzido nos monitores gigantes com definição sempre crescente. E para alegria do consumidor, os preços estão caindo numa velocidade jamais imaginada, em especial dos televisores de plasma e de cristal líquido (LCD). A mais futurística das televisões aqui exibidas é a U-HDTV japonesa, criada pela Televisão Estatal Japonesa (ou NHK), que, além da maior rede de emissoras no país, tem seus próprios laboratórios. Com projeção de imagens formadas por 32 milhões de pixels - o que equivale a 16 vezes o número de pixels da HDTV - a U-HDTV pode alcançar até 11 metros de diagonal. Um milionário do Texas propôs a compra do sistema para sua residência de alto luxo, mas o representante da NHK disse-lhe que ainda é cedo para fazer a instalação residencial desse tipo de televisão. Embora no futuro essa nova tecnologia poderá ser adotada também em residências de alto luxo, os japoneses já utilizam a U-HDTV em universidades, museus, conferências internacionais, demonstrações científicas, shows de auditório e eventos jornalísticos, entre outras aplicações. Os dois sistemas concorrentes existentes, alemão e norte-americano, não estão sendo exibidos no evento.A televisão tridimensional (3D) é uma tecnologia relativamente incipiente, embora já venha sendo experimentada há mais de 20 anos. Neste evento, só existem três exemplos de televisores 3D prontos para o mercado: o da Philips, o da Samsung e o da NHK, que deverá ser produzido por uma indústria japonesa. As melhores imagens 3D são obtidas com o uso de óculos especiais.A tecnologia OLED acaba de dar um bom salto quando à vida útil de seus monitores, que podem chegar a 50 mil horas (ou quase 15 anos, com a média de utilização de 10 horas por dia). Uma de suas vantagens é a economia de energia, por dispensar luz de fundo (backlight), produzindo excelentes imagens com a absorção da luz ambiente. Seus dois maiores fatores de limitação hoje são o preço e as dimensões máximas dos monitores - que ainda não chegam a 32 polegadas.Pelo que podemos ver neste NAB Show, os televisores de plasma e LCD ainda vão dominar por muitos anos, como as principais tecnologias. Quando se supunha que a tecnologia de plasma iria estacionar no tempo e perder mercado, o que se comprova é uma reação extraordinária dessas opções. As TVs de plasma oferecem não apenas maiores dimensões, mas também mais qualidade e preços cada vez menores. PRESENÇA MUNDIALO NAB Show é, sem dúvida, o maior evento mundial do setor de radiodifusão e multimídia. Por isso, atrai profissionais e empresários do setor de mais de uma centena de países. Outros países - como Japão, Coréia do Sul e China - comparecem com o objetivo principal de oferecer seus produtos e tecnologia. Os radiodifusores brasileiros já participavam do NAB Show em anos anteriores, mas com o objetivo de observar os avanços tecnológicos. Neste ano, além da presença de mais de 2 mil profissionais, o Brasil participa com um pequeno pavilhão para demonstrar seu sistema de TV digital e mostrar os equipamentos já desenvolvidos pela indústria nacional. O ministro Hélio Costa participou das reuniões de ontem e visitou os estandes do pavilhão brasileiro. NOVAS TECNOLOGIASU-HDTV: Criada pela TV estatal japonesa NHK, essa tecnologia tem projeção de imagens com 32 milhões de pixels, 16 vezes mais do que o da HDTV (de alta definição) e pode alcançar até 11 metros de diagonalTelevisão tridimensional: A tecnologia 3D vem sendo experimentada há 20 anos e está evoluindo, mas ainda não é definitivaOLED: Produz excelentes imagens com absorção de luz ambiente e, por isso, dispensa luz de fundo e economiza energia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.