TV por assinatura conquista novo público

Aos 83 anos, a pensionista Aracy Vieira Dias só descobriu a TV por assinatura há cinco meses. Por insistência da família, se rendeu à imagem com melhor qualidade e, de quebra, fez um agrado aos 12 netos e seis bisnetos nos fins de semana, quando todos freqüentam sua casa para assistir a desenhos. "Sei que tem um monte de recursos, mas não sei mexer nisso não. Só uso para ver meus filmes e novelas. As crianças é que aproveitam?, diz.Aracy faz parte de um novo contingente de clientes da TV por assinatura, que, no terceiro trimestre deste ano, alcançou a marca de 5,2 milhões de assinantes no País, segundo a Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil). Na comparação com 2006, o crescimento é de 15%, o maior em sete anos - desde 2000 esse número estava estacionado entre 3 milhões e 4 milhões de usuário. E boa parte dos novos assinantes, dizem os executivos do setor, é de poder aquisitivo mais baixo. De janeiro a outubro, o setor registrou uma receita de R$ 4,7 bilhões, 15,3% mais que no mesmo período do ano passado. Executivos do setor dizem que, a partir de agora, a competição entre as empresas se dará por meio do sinal digital de alta definição, novos serviços e canais cada vez mais segmentados. Com essas estratégias, o mercado, em 2008, deve alcançar 5,8 milhões de assinantes, conforme o instituto de pesquisas de TV por assinatura PTS.A reviravolta do setor se deu por um conjunto de fatores: a entrada das empresas de telefonia no capital das operadoras de TV a cabo, o crescimento da renda e a oferta de pacotes com TV por assinatura, internet banda larga e telefonia fixa. Esse ambiente propiciou uma onda de fusões e aquisições - que deve continuar em 2008. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.