Twitter garante linha de crédito rotativo de US$ 1 bi

Antes de realizar a sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), o Twitter conseguiu garantir uma linha de crédito rotativo de até US$ 1 bilhão nos próximos cinco anos, de acordo com comunicado publicado na Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês).

AE, Agencia Estado

23 de outubro de 2013 | 04h32

A linha de crédito rotativa tem vencimento em outubro de 2018. As discussões sobre o crédito foram relatadas pelo The Wall Street Journal e outros meios de comunicação.

É incomum empresas de tecnologia serem capazes de emprestar grandes somas. A empresa deverá pagar apenas 3,25% do montante que levantar no IPO para os bancos, afirmaram as pessoas familiarizadas com as negociações. Essa seria a menor taxa para uma empresa de tecnologia desde o Facebook em maio deste ano, que pagou apenas 1,1% do montante arrecadado. O Twitter pretende levantar US$ 1 bilhão com a operação.

A linha de crédito está sendo fornecida pelos bancos que já tenham aceitado trabalhar no negócio, com destaque para o Morgan Stanley e o JP Morgan, que contribuem ambos com US$ 250 milhões para a linha de crédito. Bank of America, Deutsche Bank e Goldman Sachs também estão participando da operação. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
euatwittercrédito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.