Uber e Baidu querem tecnologia de mapas da Nokia

Serviço de transporte e gigante de buscas da China estão entre as empresas que disputam aplicativo de localização

O Estado de S.Paulo

22 Maio 2015 | 02h02

O aplicativo de transporte Uber está se associando com o gigante de buscas chinês Baidu e a companhia de private equity Apax para comprar o serviço de mapas da Nokia Here. As informações foram divulgadas pelo site da Bloomberg com base em fontes anônimas.

É o mais novo lance em uma corrida pelo aplicativo de localização da antiga fabricante de smartphones finlandesa, que vendeu seu negócio de dispositivos móveis para a Microsoft no ano passado.

Visto como concorrente à altura do Google Maps em uma época em que a tecnologia de mapas é componente essencial de smartphones e veículos, a venda do Here tem atraído uma porção de empresas.

Outro grupo, composto pela Tencent, da China, a NavInfo e o fundo sueco EQT Partners AB, também está disputando a divisão, que pode conseguir até US$ 4 bilhões, três das pessoas entrevistadas pela Bloomberg disseram, pedindo anonimato pois as negociações são privadas. O Uber estaria disposto a pagar US$ 3 bilhões pelo Here.

Montadoras. Um terceiro grupo interessado reuniria as montadoras alemãs de luxo Mercedes, Audi e BMW em parceria à empresa de private equity General Atlantic. O Baidu também estaria disputando como parte deste consórcio, mas neste caso apenas uma fatia minoritária.

Uma fonte do setor financeiro disse ontem que a General Atlantic provavelmente tomará uma fatia de 30% no consórcio liderado pela indústria automotiva, mas que o porcentual exato ainda não foi finalizado e pode mudar.

Outra fonte disse que cada uma das três montadoras está preparada para contribuir com até € 700 milhões, mas que o porcentual de participação de cada ainda não foi definido.

A Nokia, Daimler - que controla a Mercedes-Benz - a BMW e a Audi, da Volkswagen não quiseram comentar. A General Atlantic Partners também não quis comentar.

A Microsoft declarou ter interesse na compra de uma fatia minoritária, enquanto três empresas americanas de private equity - Hellman & Friedman, Silver Lake Management e Thoma Bravo - também estão no páreo, afirmaram as fontes.

A próxima rodada de lances pelo serviço de mapas deve acontecer em duas semanas. Fontes ouvidas pela Bloomberg dizem que as ofertas podem chegar a US$ 4 bilhões.

Após anunciar a aquisição da fabricante de equipamentos de rede Alcatel-Lucent por US$ 15,6 bilhões, a Nokia no mês passado começou uma análise estratégia de seu negócio de mapas, colocando em movimento um processo de leilão que jogou empresas de internet como Uber e Baidu contra montadoras. (Com agências internacionais).

Mais conteúdo sobre:
UberNokiaaplicativo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.