UBS não pagará dividendos para preservar capital, ações caem

O banco suíço UBS afirmou nesta quinta-feira que não pagará dividendos durante algum tempo para preservar capital e atender às exigências das novas regras da Basileia, o que fazia suas ações recuarem nesta quinta-feira.

REUTERS

30 de setembro de 2010 | 10h44

O maior administrador de fortunas na Europa em ativos não tem planos de aumentar capital, mas deve tomar medidas para reduzir seus ativos de risco (RWA) de acordo com as novas regras, as quais o banco espera ter alcançado até 2013, disse o vice-presidente financeiro do UBS, John Cryan, em conferência do setor nesta quinta-feira.

Em julho, o executivo disse que o banco planejava reter dividendos no médio prazo para aumentar capital.

Às 10h36 (horário de Brasília), os papéis do UBS cediam 0,41 por cento.

O banco afirmou já ter feito progresso substancial na redução de riscos diminuindo sua alavancagem, aperfeiçoando governança e administração de riscos e retornando ao lucro.

A instituição acrescentou que está bem posicionada em relação a seus pares para atender os desafios da Basileia III. Sob as atuais regras suíças, UBS e Credit Suisse devem reter duas vezes a exigência mínima de capital da Basileia II.

Entretanto, as novas regras estabeleceram um padrão mais restrito para a qualidade do capital, assim como a tributação de riscos no balanço dos bancos.

O UBS recebeu auxílio do governo durante a crise financeira mundial mas manteve a quota de capital em robustos 16,4 por cento no final do primeiro semestre deste ano, se preparando para exigências de capital mais rigorosas.

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSUBSDIVIDENDOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.