UBS revisará custos e unidades após lucro 49% menor no 2o tri

O UBS vai cortar empregos e revisar negócios com renda fixa, após o desempenho abaixo do esperado da unidade afetar o lucro do banco suíço no segundo trimestre.

REUTERS

26 de julho de 2011 | 07h50

A instituição informou nesta terça-feira que vai reduzir custos em entre 1,5 bilhão e 2 bilhões de francos suíços (1,9 bilhão a 2,5 bilhões de dólares) nos próximos dois a três anos e que deverá realizar "mudanças de reestruturação significativas" no final deste ano.

"O novo cenário regulatório e de capital vai pesar nos lucros dos bancos e não podemos confiar nos mercados para elevar nossos ganhos enquanto o crescimento da economia mundial parece estar paralisado", disse o presidente-executivo do UBS, Oswald Gruebel.

O lucro líquido do banco caiu 49 por cento, para 1 bilhão de francos suíços, abaixo da média de estimativas do mercado de 1,23 bilhão, com a receita afetada pela moeda local forte e pela desaceleração nos ramos de renda fixa, câmbio e commodities.

O UBS investiu forte em renda fixa para se capitalizar durante a recuperação da crise econômica mundial. Mas a agressiva política de contratações do banco, que incluiu aumento de salários fixos para compensar os baixos bônus em decorrência da crise, deixou a instituição com uma base de custos inflexível, dificultando a resistência a uma desaceleração dos negócios.

O maior banco da Suíça, que foi resgatado pelo governo em 2008, reduziu seus funcionários de 78 mil para 64 mil antes da crise financeira, mas aumentou o quadro novamente no ano passado para 65 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSUBSRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.