UBS Warburg rebaixa recomendação da dívida brasileira

O banco de investimentos UBS Warburg rebaixou a recomendação para os títulos da dívida brasileira de "overweight" (peso acima da média) para "neutral" (peso na média). Segundo o diretor de pesquisa e estratégia para América Latina do UBS Warburg, Michael Gavin, vários fatores influenciaram o rebaixamento. "Primeiro, o mercado de dívida se recuperou fortemente e, portanto, os preços deixaram de ser bastante atrativos. Além disso, é improvável que aconteça um avanço forte na agenda de reformas do governo Lula nas próximas duas semanas que dê sustentação aos preços dos títulos no curtíssimo prazo", explicou Gavin à Agência Estado. "Ao mesmo tempo, a inflação continua a preocupar. Porém, mais importante ainda, o cenário internacional bastante negativo, com a crescente ansiedade em relação a uma guerra contra o Iraque, ainda está para se refletir e afetar os mercados de dívida de emergentes, em particular os títulos da dívida brasileira", acrescentou. Segundo Gavin, o sentimento é de que não há fatores domésticos com força suficiente para compensar o impacto negativo da deterioração no cenário externo. O rebaixamento da recomendação dos títulos brasileiros para "neutral" financiou um aumento na posição "cash" (caixa) de 1% para 3% na carteira recomendada do UBS Warburg. O analista informou que poderá voltar a elevar a dívida brasileira novamente para "overweight" se houver um movimento maior de "sell-off" (venda) dos títulos brasileiros e se as condições do cenário externo melhorarem, além de avanços nas reformas do governo no Congresso brasileiro e também sinais mais positivos em relação à inflação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.