UE adia negociações para reforma da PAC

As discussões para tentar um consenso sobre o projeto de reforma da Política Agrícola Comum (PAC) da União Européia (UE) foram adiadas para a próxima terça-feira, dia 17 de junho. O comissário europeu de agricultura, Franz Fischler, afirmou que faltam "inúmeros detalhes a serem resolvidos" antes de se pensar em um acordo global, reforçando ainda que falta consenso para fechar a idéia básica da proposta que é a desvinculação das ajudas diretas aos agricultores e o nível de produção, assim como a reforma para os setores de cereais e lácteos."Todos querem uma reforma e todos são de acordo também que esta reforma deverá ser válida para os próximos dez anos a fim de dar uma perspectiva à agricultura européia", afirmou Fischler, acrescentando que a falta de consenso para cereais e lácteos imporá "um problema enorme dentro de alguns anos sobre o orçamento da PAC".O ministro francês de agricultura, Hervé Gaymard, recusou-se, à saída do jantar dos ministros, em Luxemburgo, ontem à noite, a especular sobre as discussões que serão retomadas na próxima terça-feira. "Nós entraremos em uma fase que poderá ser a fase final das negociações", disse.O chanceler alemão Gerard Schroeder confirmou hoje pela manhã, em entrevista ao canal de TV Europe 1, o acordo franco-alemão sobre a PAC. "Nós decidimos politicamente ajudar a França" e recebemos, em contrapartida, a flexibilização francesa quanto ao desvínculo parcial das ajudas e também ao que concerne à evolução do espaço rural.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.