UE aumenta subsídios para banana

A Comissão Européia aumenta os subsídios para os produtores de banana, mas garante que o novo mecanismo causará menos distorções no mercado internacional. Nesta quarta-feira, Bruxelas anunciou sua proposta de reforma do apoio estatal ao setor, depois de meses de debates internos. O Brasil tem exportado um volume cada vez maior de bananas para o mercado europeu, mas as autoridades em Bruxelas admitem que a reforma ainda não trará vantagens, por enquanto, à competitividade do produto nacional. Os países latino-americanos, entre eles o Brasil, se queixaram à Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre as tarifas cobradas pela Europa para as importações de bananas. Os europeus acabaram reduzindo as taxas para 172 euros por tonelada, o que ainda assim não foi considerado como suficiente pelos governos latino-americanos. O Equador e a Colômbia podem entrar com uma nova queixa na OMC nas próximas semanas, o que daria inicio a uma nova "guerra das bananas".Ainda assim, os produtores dos países da Europa passaram a pedir maior subsídios para fazer frente às novas importações. Bruxelas então propõe que os subsídios não sejam mais dados para compensar os preços baixos do produto no mercado, mas diretamente para as regiões produtoras onde a fruta tem um peso significativo na economia local. A França e a Espanha serão os países que mais se beneficiarão do pacote de 280 milhões de euros que a UE distribuirá por ano aos produtores europeus. Madeira e Açores serão as regiões beneficiadas em Portugal. Há uma semana, as autoridades do bloco europeu queriam dar 240 milhões de euros, o que foi considerado como insuficiente, principalmente pelos produtores das Ilhas Canárias. A Europa é o maior mercado de bananas do mundo, mas a produção local consegue alimentar apenas 16% do consumo. Ainda assim, vários países alegam que o cultivo é importante para manter certas zonas rurais. 70% das 4,6 milhões de toneladas de bananas consumidas pelos europeus vem da América Latina. Em 2006, a região conseguiu aumentar em 5% suas vendas à Europa. No caso do Brasil, o País exportou em 2004 52 mil toneladas de bananas para a Europa, uma quantidade ainda bem inferior aos mais de 900 mil toneladas vendidas pelo Equador. Mas as exportações brasileiras são as que mais crescem e, em quatro anos, aumentaram em mais de 400%, tendência que deve continuar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.