UE começa a debater ajuda à Argentina

Os ministros das Finanças dos quinze países da União Européia (UE) começam, nesta terça-feira, a avaliar um plano de ajuda para a Argentina. Os ministros vão aproveitar a primeira reunião do ano para debater de que forma os europeus poderiam auxiliar o governo de Eduardo Duhalde a superar a crise econômica que afeta o país.A idéia de introduzir o tema na agenda da UE partiu do governo espanhol, que preside o bloco europeu até julho e destina metade de seus investimentos externos ao mercado argentino. "Vamos iniciar com um debate informal, que pode ser a base para uma decisão que seria tomada no início de fevereiro", afirmou o porta-voz do Conselho Europeu à Agência Estado.Uma das propostas seria formar uma coalizão dos países europeus no Fundo Monetário Internacional (FMI) para pressionar a instituição a aprovar um plano para salvar a economia argentina.Outra idéia seria avaliar o apoio a programas que tenham como objetivo reduzir a pobreza na Argentina. A UE poderia aprovar verbas de até 67 milhões de euros para esses projetos nos próximos quatro anos.Os ministros ainda vão estudar a possibilidade de enviar remédios e ajuda alimentar aos argentinos - um pedido que havia sido feito por Buenos Aires na semana passada.Apesar de a crise da Argentina estar na agenda da UE, isso não significa, pelo menos por enquanto, a aprovação da política adotada por Buenos Aires. "Toda nossa ajuda dependerá de como os ministros vão avaliar o pacote de Duhalde", afirmou o porta-voz da UE.Leia o especial

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2002 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.