Reuters
Reuters

UE eleva previsão do PIB da zona do euro em 2015 para 1,5%

Projeção anterior da Comissão Europeia era de crescimento de 1,3%; queda do preço do petróleo e estímulos dos BCs devem contribuir para a melhora da economia

O Estado de S. Paulo

05 Maio 2015 | 09h38

BRUXELAS - A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, elevou a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro em 2015 para 1,5%, ante a taxa de 1,3% projetada em fevereiro. Para a UE como um todo, a previsão de expansão do PIB subiu de 1,7% para 1,8%.

Economistas da comissão avaliaram que a queda nos preços do petróleo e estímulos monetários de bancos centrais devem contribuir para o crescimento mais robusto da região neste ano, mas levantaram dúvida sobre a capacidade da Europa de manter esse ritmo de expansão no longo prazo. Para eles, os problemas causados pela crise da dívida - desemprego elevado, alto nível de endividamento dos governos e das empresas, fragilidades no sistema bancário e investimentos fracos - provavelmente pesarão no desempenho econômico europeu por vários anos.

"A economia da UE raramente se beneficiou de uma forte conjunção de fatores de sustentação", disse Marco Buti, chefe da diretoria econômica da comissão, referindo-se ao petróleo barato e às medidas monetárias. "Mas será a economia capaz de gerar uma expansão auto-sustentada e equilibrada depois que esses ventos favoráveis passarem? A resposta não é evidente. O legado da crise continuará sendo sentido por muitos anos."

As projeções evidenciam o diferente comportamento econômico dos países que mais sofreram durante a crise da zona do euro. A expectativa é que a Espanha e a Irlanda tenham algumas das maiores taxas de crescimento do bloco, enquanto a projeção para a Grécia foi reduzida drasticamente, em meio ao impasse nas negociações de Atenas com credores internacionais.

A comissão prevê que a Irlanda crescerá 3,6% este ano, garantindo o melhor desempenho na zona do euro. No caso da Espanha, a projeção é de alta de 2,8%. Já para a Grécia, a previsão para o PIB de 2015 foi cortada de 2,5% para 0,5%, em meio às incertezas políticas e condições de liquidez mais estreitas do país. Para 2016, a projeção de aumento do PIB grego caiu de 3,6% para 2,9%. 




Alemanha. A União Europeia elevou a sua projeção de crescimento econômico para a Alemanha em 2015, para 1,9%, de 1,5% na estimativa anterior. Para 2016, a previsão é de expansão de 2,0%, sem alterações em relação à expectativa passada. Com isso, os economistas da UE se mostram mais otimistas com a Alemanha do que o próprio ministério de Finanças do país, que projeta avanço de 1,8% para este ano e o próximo.

França e Itália. A Comissão Europeia elevou a projeção para o crescimento do PIB da França em 2015 de 1% para 1,1%. No caso da Itália, a entidade continua prevendo expansão de 0,6% do país neste ano. Para 2016, a comissão cortou a previsão para a economia francesa, de 1,8% para 1,7%, mas elevou a da italiana, de 1,3% para 1,4%. 


Reino Unido. A UE não alterou sua projeções de crescimento da economia do Reino Unido para este e o próximo ano. Com isso, o PIB britânico deve crescer 2,6% em 2015 e 2,4% em 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.