UE encampa proposta brasileira sobre remédios

A União Européia afirmou, na manhã deste domingo em Tóquio, que irá tentar convencer o governo dos Estados Unidos a aceitar a proposta feita pelo chanceler Celso Amorim para romper o impasse nas negociações sobre patentes de remédios na Organizacao Mundial do Comercio (OMC).No sábado, o chanceler brasileiro surpreendeu a todos ao propor uma iniciativa que possibilite que, nesta semana, seja concluído um acordo em Genebra sobre o tema. "Vamos trabalhar com os Estados Unidos para mostrar-lhes que a proposta brasileira é adequada e serve ao interesse de todos", afirmou um alto funcionario de Bruxelas ao Estado.Segundo a proposta de Amorim, seria estabelecido um mecanismo que garanta que os países com capacidade de produção de genéricos, como o Brasil e a Índia, não se aproveitem de um acordo de patentes para conseguir lucros exportando genéricos, um dos temores dos Estados Unidos.A "Proposta Amorim" prevê que caso um país queira importar genéricos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) daria um atestado que comprovaria que o governo não tem capacidade de produzi-lo localmente e que, portanto, necessitaria importar o remédio genérico.Assim, os países pobres estariam assegurados de que poderão importar remédios baratos. Ao mesmo tempo, os Estados Unidos poderiam também se assegurar de que o acordo não será manipulado para exportar genérico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.