UE está pronta para ajudar a Grécia, diz Manuel Barroso

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, disse que a União Europeia (UE) está pronta para ajudar a Grécia por meio do aumento da sua taxa de cofinanciamento para 85% e que a comissão está preparada para considerar essa proposta. As declarações foram feitas por Barroso durante a cúpula da UE realizada nesta quinta-feira, em Bruxelas.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

23 de junho de 2011 | 20h47

Segundo o site da Comissão Europeia, a taxa de cofinanciamento diz respeito à contribuição da UE para o financiamento de um programa. O cofinanciamento está geralmente sujeito a um limite máximo definido em porcentagem do valor total do programa ou de uma parte do programa.

Os Estados-membros da UE também endossaram as recomendações políticas individualizadas da Comissão para cada país, parte de um novo processo de supervisão central anual, sem as enfraquecer, afirmou o presidente da União Europeia (UE), Herman van Rompuy.

Van Rompuy acrescentou que a nova rodada de compromissos deverá ser mais ambiciosa e concreta.

Separadamente, os líderes aprovaram os tratados sobre os fundos de ajuda emergenciais da zona do euro, a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) e o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM), acertados pelos ministros das Finanças no início desta semana.

Van Rompuy disse que indicação de Mario Draghi para a presidência do Banco Central Europeu (BCE), em substituição a Jean-Claude Trichet que termina seu mandato no final deste ano, está na agenda de amanhã da cúpula.

Havia incertezas sobre se a nomeação de Draghi poderia ser adiada, uma vez que Lorenzo Bini Smaghi está demorando para deixar seu lugar no conselho de governadores do BCE. A presença de mais de um italiano no conselho é vista como uma representação desproporcional da Itália. A França está buscando garantias de que o lugar de Smaghi seja cedido a um francês. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
empréstimoGréciaUnião Europeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.