UE faz críticas à Microsoft

Windows sem o Explorer não beneficiaria consumidor

REUTERS, O Estadao de S.Paulo

13 de junho de 2009 | 00h00

O anúncio da Microsoft de que vai oferecer na Europa a nova versão do Windows sem o seu navegador Internet Explorer não surtiu, aparentemente, o efeito desejado pela empresa. A gigante do software vem sendo acusada de práticas anticoncorrenciais, e vender o sistema operacional sem o navegador seria uma forma, segundo a empresa, de dar mais oportunidades à concorrência. A Comissão Europeia (CE), órgão executivo da União Europeia, porém, avaliou que a iniciativa pode até prejudicar o consumidor, beneficiando, na verdade, os fabricantes de computadores. "A Comissão sugeriu à Microsoft que consumidores tenham a possibilidade de escolha de navegador de internet", disse a CE, em nota. "Em vez disso, a Microsoft aparentemente decidiu fornecer aos consumidores de varejo uma versão do Windows sem nenhum navegador. Ao invés de mais escolha, a Microsoft parece ter escolhido oferecer menos. Já para os fabricantes de computadores, a proposta da Microsoft pode, potencialmente, ser mais positiva'', acrescentou a Comissão, observando que os fabricantes teriam a escolha de instalar o Internet Explorer ou outro navegador em seus computadores novos.CONCORRÊNCIAA Opera ASA, operadora norueguesa do navegador de internet de mesmo nome, disse ontem que o plano da Microsoft de vender o novo sistema operacional Windows na Europa sem o Internet Explorer não é suficiente para restabelecer a competição no mercado. "Não acredito que isso vai restabelecer a competição", disse o vice-presidente de Tecnologia da Opera, Hakon Wium Lie.A CE já multou a Microsoft em quase US$ 2 bilhões por várias infrações às regras de competitividade. No mês passado, a Comissão também multou a fabricante de chips Intel em US$ 1,49 bilhão por práticas anticompetitivas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.