UE fecha consenso sobre oferta de serviços para OMC

Os quinze países integrantes da União Européia fecharam um acordo sobre a liberalização de seus serviços para as negociações do ciclo de Doha, no âmbito da Organização Mundial de Comércio (OMC). O anúncio será feito hoje pelo comissário europeu de comércio, Pascal Lamy, que esclarecerá quais foram os pontos, finalmente, delineados na questão da livre circulação de trabalhadores, o tema mais controvertido.O pomo da discórdia, durante os meses antecedentes, trata da possibilidade das empresas estrangeiras de serviços enviarem profissionais temporários, tendo como respaldo um contrato com um dos países da União Européia (UE).Essa troca de serviços foi criticada e vista com desconfiança por parlamentares europeus e organizações não-governamentais. Eles temem que essa liberalização coloque em xeque os serviços públicos na Europa e represente o "fator de pressão" sobre os países em desenvolvimento para que abram seus mercados.Lamy, que negocia em nome dos quinze, vai mostrar os detalhes da oferta, que exclui liberalização audiovisual, saúde e educação. A oferta comunitária para serviços devia ter chegado a Genebra no último dia 31 de março, segundo os prazos estabelecidos pela rodada. Mas, somente Estados Unidos e outros poucos países cumpriram o compromisso. Argentina, Paraguai e Uruguai também estavam neste grupo. O Brasil ainda não enviou sua oferta para serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.