UE inicia hoje processo histórico de reformas

A União Européia colocou em marcha hoje, em Bruxelas, uma reforma sem precedentes em busca de uma nova União Européia. Durante um ano, 105 membros da Convenção sobre o futuro da Europa, formada por representantes dos 15 Estados membros e de países candidatos à integrar a UE, além da Eurocâmara, Parlamentos Nacionais e a Comissão Européia, vão preparar o projeto de reformas das instituições comunitárias e as bases para uma nova Constituição que, em 2004, deverá ser aprovado pelos 28 governos europeus.O texto inicial é a Declaração da Laeken, na qual os chefes de Estado e de governo da União Européia definiram as bases do debate sobre o futuro da Europa unida. A idéia é estabelecer uma melhor distribuição e definição de competências, simplificar tratados e permitir maior democracia, eficácia e transparência para UE.O primeiro-ministro espanhol, José Maria Aznar, como presidente de turno da União Européia, vai inaugurar hoje o encontro histórico. De acordo com a imprensa européia, a Europa inaugurou nesta quinta-feira um capítulo que ficou interrompido em Niza, há dois anos, por causa da insatisfação de muitos e pela falta de ambição de reformas de outros."A reforma é necessária porque a UE quer definir seu papel no mundo, aproximar-se dos cidadãos e, ao mesmo tempo, ser eficaz quando outros dez novos países ingressarem no bloco em 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.