finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

UE inicia investigação antitruste sobre Thomson Reuters

Órgãos antitruste da União Europeia lançaram nesta terça-feira uma investigação sobre os códigos para dados que são usados pela empresa de notícias e informações financeiras Thomson Reuters, dizendo que a estrutura pode desencorajar clientes a migrar para a concorrência.

REUTERS

10 de novembro de 2009 | 11h54

A Comissão Europeia, que monitora a competição nos 27 países da União Europeia, afirmou que a investigação foi aberta por sua própria iniciativa e que isso não implica uma prova de violação de regras.

A Comissão acrescentou que vai examinar se a Thomson Reuters tem o poder de evitar que clientes associem os Reuters Instrument Codes (RICs) a códigos alternativos de identificação de ativos usados por outros fornecedores de dados.

"Sem a possibilidade desse tipo de associação, os clientes podem ficar potencialmente presos para trabalhar com a Thomson Reuters, porque a substituição dos RICs por meio da reconfiguração ou da reprogramação dos softwares pode ser um procedimento longo e custoso", afirmou a Comissão em comunicado.

Os RICs --códigos que identificam instrumentos financeiros como ações, moedas e contratos futuros-- são usados para transmitir dados em tempo real. O sistema distribui dados do mercado em tempo real para aplicativos desenvolvidos por bancos e instituições financeiras.

A Thomson Reuters confirmou ter recebido um questionário da Comissão sobre o uso dos RICs, e disse que está cooperando com a Comissão.

"A Thomson Reuters fornece a seus clientes um acesso consistente, confiável e conveniente a milhões de instrumentos financeiros de quase todos os ambientes eletrônicos de negociação do mundo", afirmou a companhia em comunicado.

"Os dados da Thomson Reuters são confiáveis e consistentemente identificados por meio de um código administrado, que nós criamos e mantemos para permitir a navegação pelo conteúdo global da companhia."

RESTRIÇÃO

O porta-voz da Comissão Europeia Jonathan Todd disse em entrevista coletiva que a preocupação é que os clientes da Thomson Reuters não sejam capazes de usar bases de dados alternativas junto com os serviços da companhia.

A Thomson Reuters foi formada no ano passado pela fusão entre a Thomson e a Reuters. Sua unidade de mercados concorre globalmente com a Bloomberg e com a Dow Jones, da News Corp. Não há um prazo definido para a Comissão concluir a investigação.

(Reportagem de Foo Yun Chee)

Tudo o que sabemos sobre:
MIDIATHOMSONREUTERSCOMISSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.