UE investiga Exxon Mobil, BP PLC, Royal Dutch e Bayer

A Comissão da União Européia lançou investigações de surpresa contra a empresa química alemã Bayer AG e as gigantes de petróleo Exxon Mobil Corp., Royal Dutch Petroleum Co. e BP PLC. Nos casos das três últimas, os investigadores da UE fizeram visitas inesperadas no começo deste mês, à procura de evidências de fixação do preço do betume, um derivado do petróleo usado principalmente para pavimentação. No total, foram investigadas as unidades da Exxon Mobil na Alemanha, Holanda e Bélgica. Dmitri Schildmeijer, porta-voz da companhia em Bruxelas, disse que a empresa está "cooperando totalmente com a investigação". A Royal Dutch/Shell e a BP PLC também confirmaram as visitas dos representantes da UE. A Royal Dutch informou que estava confiante em que não seria punida. O porta-voz Leon Tops disse que uma auditoria interna sobre os negócios de betume mostrou que a empresa "não estava trabalhando contra as leis antitruste?. "Vamos cooperar totalmente com a investigação da UE", disse o porta-voz da BP, Ronnie Chappell. Segundo ele, os escritórios da companhia na Espanha foram o alvo. A porta-voz da Comissão da UE, Amelia Torres, disse que um número de fabricantes em diversos países europeus estão envolvidos em um possível cartel do betume. Ela informou que todos os nomes das empresas são confidenciais. Já a Bayer está sendo investigada acerca de produtos utilizados na fabricação de borracha. Guenter Forneck, porta-voz da empresa, não comentou se a Bayer será penalizada. "É uma situação nova", disse. Torres, da UE, disse que as inspeções são "um primeiro passo" e que as companhias não serão necessariamente consideradas culpadas. Mas as investigações dão motivos para preocupações. As multas máximas por casos de cartel na Europa podem chegar a 10% da receita anual da empresa. Além disso, notícias de investigações podem disparar processos privados nos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.